quinta-feira, 25 de agosto de 2016

Confira os parques de SP que ficam abertos até mais tarde

A maioria dos parques de São Paulo fecha às 18h, mas quem não tem tempo de fazer exercícios físicos durante o dia pode encontrar parques na cidade que ficam abertos até mais tarde. Veja a relação dos locais visitados pelo site Áreas Verdes das Cidades que ficam disponíveis durante a noite:

Região Central


Luz
  • Centro Esportivo Tietê - Horário: De segunda a sexta das 6h às 23h30. Sábados das 6h às 18h de domingo - aberto durante toda a madrugada de sábado para domingo. Tel. 11 3227-8652.
Vila Mariana
  • Parque do Ibirapuera - Horário: Das 5h à 22h. Atenção! O parque fica aberto das 5h de sábado até as 24h de domingo.

Zona Sul

Itaim Bibi


Zona Leste

Cangaíba

Vila Formosa
  • Ceret - Horário: Segundas às Sextas das 6 às 0h e Sábados, Domingos e Feriados das 6 às 20h 

Vila Prudente

Zona Oeste

Aclimação
Sumaré
  • Parque Zilda Natel - Horário: Das 9h às 21h, exceto nos dias de jogos no Estádio do Pacaembu, quando encerrará as atividades em horário definido pela administração, conforme horário da partida.

Praças - abertas 24 horas

Zona Oeste

Alto de Pinheiros

Zona Sul

Vila Nova Conceição
Morumbi

Atenção! Fazer exercícios à noite requer mais cuidados
Segundo o site Saúde Melhor, os praticantes precisam tomar bastante cuidado com o sistema imunológico. Especialistas da medicina esportiva explicam que o exercício deve ser controlado e sempre vir acompanhado de um bom sono, de pelo menos 8 horas, e uma alimentação adequada.

O que as pessoas não podem esquecer é que muitas delas já passaram por um longo e puxado dia de trabalho, se houver junção de uma sobrecarga de estresse acumulada no dia e mais o estresse físico provocado pelo esforço gerado pelos exercícios físicos, as chances de afetar negativamente o sistema imunológico são enormes.

Dicas
  • Comece com uma orientação de um profissional da Educação Física e principalmente em um ritmo bem baixo;
  • Não saia de casa para praticar exercício em jejum;
  • Antes dos treinos é necessário ingerir alimentos leves, por exemplo, uma fruta. O indicado que é seja consumido aproximadamente 30g de carboidratos. Não faça ingestão de fibras antes do treino porque é um componente de difícil digestão e é indicada para depois da sessão de treino;
  • Após o treino, você precisa ingerir alimentos que reponham a energia perdida. Carboidratos e fibras são os mais indicados, busque a orientação de um nutricionista esportivo para definir o que é melhor;
  • Se você for jantar antes da sessão de treino, é importante que haja um intervalo de 3 horas entre a refeição e o treino;
  • Se for realizar apenas um lanche, o tempo de intervalo pode ser de apenas uma hora;
  • Opte sempre pelos alimentos que favoreçam o seu treinamento, alimentos como: arroz, maçã, melão, morango, cereais integrais, castanha e chás, são excelentes opções para quem vai se exercitar a noite e depois de um duro dia de trabalho. Estes alimentos auxiliam na redução do nível de cortisol, o hormônio relacionado ao estresse humano;
  • Dê muito valor para o descanso. Como foi dito anteriormente, é necessário pelo menos 8 horas de sono por noite. Jamais troque horas de sono por atividade física, porque isso só trará malefícios para sua vida e
  • Para conseguir se exercitar de forma ideal, você precisa de energia reservada, sendo assim, uma dieta contendo quantidades ideais de carboidratos irá evitar fadigas e até mesmo algumas lesões musculares.

Faça exercícios pelo menos 2 horas antes de dormir
Durante a atividade física seu corpo é estimulado a liberar uma grande quantidade de endorfina, que é responsável pela sensação de prazer, euforia e motivação.

Mesmo com este efeito, existem pessoas que conseguem chegar a sua casa, tomar seu banho e dormir normalmente, mas se você não é desses, certamente é melhor não praticar exercícios muito próximo do horário de dormir.

É indicado que você reserve 2 horas de intervalo entre o final do treino e o horário que vai deitar para dormir. Neste tempo o seu corpo irá desacelerar pouco a pouco e você dificilmente terá seu sono atrapalhado.

Para aquelas pessoas que não tem horário definido de treino, nossa informação é que você não precisa se preocupar quanto a isso. Não existe contra indicações específicas para estes casos, você precisa tomar o mesmo cuidado das pessoas que praticam em um dos horários apenas.

Lembre da nossa dica mais importante de todas, jamais inicie qualquer atividade física sem antes realizar exames e obter uma liberação médica. Com essa liberação em mãos, não fique parado, indiferente do horário apenas tome e cuidado e bom treino!

Foto: Pacefit

Por Leticia Jardim Guedes - Redação Áreas Verdes das Cidades

domingo, 21 de agosto de 2016

Comemoração de 62 Anos do Parque Ibirapuera

Em 21 de agosto último, o Parque Ibirapuera comemorou seu 62º aniversário de criação. Em sua inauguração, que foi muito comemorada e teve a presença de milhares de pessoas, "soaram apitos de todas as fábricas e repiques de sinos de todas as igrejas", conforme noticiou à época o jornal "Folha da Manhã". Na ocasião, 13 Estados e 19 países estiveram presentes na festividade montando 640 estandes. Um dos participantes, o Japão, chegou a construir uma réplica do Palácio Katura, com material importado e que é uma das atrações hoje do Parque, atualmente chamado de Pavilhão Japonês.

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Conheça as 4 trilhas do Parque Estadual da Cantareira



O Parque Estadual da Cantareira, na zona norte de São Paulo, é uma das maiores florestas urbanas nativas do mundo. No Núcleo Pedra Grande (há também os núcleos Águas Claras, Engordador e Cabuçu) há quatro trilhas com níveis diferentes de dificuldade para você aproveitar um dos últimos locais preservados da Mata Atlântica na cidade.

A Trilha do Bugio tem nível fácil – para qualquer condicionamento físico, inclusive para crianças e idosos. A Trilha das Figueiras e a Trilha da Bica têm nível médio e a Trilha da Pedra Grande requer um bom condicionamento físico, pois leva em média 3 horas, contando ida e volta.

Programe-se antes de sair de casa
O parque só está aberto nos finais de semana e feriados, das 8h às 17h – e para a trilha à Pedra Grande até às 15h.

Devido às condições climáticas, confirme os horários permitidos para acesso às trilhas no telefone da Administração: 11 - 2203-0115 ou por email: pe.cantereira@fflorestal.sp.gov.br

A administração disponibiliza programas ao público, como o atendimento monitorado a grupos e escolares, que nesses casos não obedecem ao horário normal do parque. Mais informações no telefone da administração.

Os ingressos custam R$ 13,00 (crianças menores de 12 anos, adultos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência não pagam). Estudantes pagam meia-entrada.

As Trilhas:

  • Nível Fácil
Trilha do Bugio
Caminhar por esta trilha de 370 m é ideal para crianças pequenas, idosos e deficientes físicos, enquanto se aproveita a mata nativa e os macacos Bugios brincando nas árvores.
  • Nível médio
Trilha das Figueiras
A Trilha das Figueiras possui 920 m de percurso variando de suave à íngreme, onde o visitante pode observar as árvores altas que deram o nome à trilha. Poderá ver também curiosos matacões (granitos) que sofrem o fenômeno denominado de esfoliação esferoidal, onde as rochas apresentam fendas.

Trilha da Bica A Trilha da Bica possui 1.381 m de percurso suave, circundando uma microbacia hidrográfica em que o visitante pode refrescar-se com a água da bica e observar, além de muitos pássaros, um bando de quatis que freqüenta a área.

  • Nível difícil
Trilha da Pedra Grande
O ideal é percorrer esta trilha ao longo de seus 9.500 m de extensão (ida e volta) até a grande formação de granito (1.010 m de altitude) onde se descortina uma bela vista panorâmica da cidade, vista do Norte para o Sul. Em dias claros pode-se ver trechos da Serra do Mar além da cidade. A trilha leva ao Museu da Pedra Grande e ao Lago das Carpas, uma área agradável para prática de exercícios físicos e apreciação dos peixes existentes no lago.

Há um caminho alternativo menos extenso para se chegar ao mirante da Pedra Grande. Utilize a entrada do parque pelo Núcleo Águas Claras (Av. Senador José Ermírio de Moraes s/n⁰ em Mairiporã) e percorra a Trilha da Suçuarana em seus 1.130 m de extensão, que em seu final tem uma seta indicativa para o Núcleo Pedra Grande. O mirante fica próximo.

Não há lanchonetes no parque. Caso queira, traga de casa alimentos e bebidas ou compre-os em estabelecimentos comerciais que ficam na Rua do Horto, próximo à entrada do Parque Estadual Alfredo Löfgren (ex-Horto Florestal).

Há restrições para animais domésticos; qualquer atividade com fogo; prática de esportes com bola, patins e skate; bicicletas; entrada de aparelhos/instrumentos sonoros; soltar pipas e nadar nas represas e lagos.

Durante a visita percebemos a existência de vigias no parque, inclusive de motos, conferindo-lhe segurança.

Acesso ao Parque Estadual da Cantareira
Há várias linhas de ônibus que dão acesso ao parque entre as quais a 2740-41 Metrô Parada Inglesa x Horto Florestal.
Similares: 2740-10-0 - Metrô Santana, 1783-41-0 - Metrô Parada Inglesa; 1764-41-0 - Metrô Parada Inglesa,1783-21-0 - Metrô Tucuruvi e 1722-10-0 - Tucuruvi.

Para saber outros números de linhas, fornecendo origem e destino, ligue para o telefone 156 da PMSP ou pelo site da Sptrans (clique aqui).
Caso vá de carro acesse o link "Ver no mapa" no "box" ao lado e trace seu roteiro.

Não há estacionamentos para veículos no interior do parque, mas na Rua do Horto, próxima à sua entrada, há algumas vagas.

História
Cantareira foi o nome dado à Serra pelos tropeiros, que faziam o comércio entre São Paulo e as outras regiões do país, nos Séculos XVI e XVII. Era costume, na época, armazenar água em jarros de barro, chamados cântaros, e as prateleiras onde eram guardados chamavam-se Cantareira.

O Núcleo Pedra Grande foi o primeiro núcleo aberto ao público em 1989, oferecendo a oportunidade ao visitante de um contato direto com a Mata Atlântica, mesmo estando apenas a 10 km da Praça da Sé em linha reta.

Confira a matéria completa sobre o Parque Estadual da Cantareira – Núcleo Pedra Grande feita pelo site Áreas Verdes das Cidades – com vídeo e fotos!


Letícia Jardim Guedes - Redação Áreas Verdes das Cidades

terça-feira, 9 de agosto de 2016

Parque Cidade de São Bernardo Raphael Lazzuri em São Bernardo do Campo

Parque Cidade de São Bernardo Raphael Lazzuri, visitado num domingo, fica localizado no Bairro Anchieta na cidade de São Bernardo do Campo no ABC paulista. O parque, que ocupa uma área de 25.000 m², tem um relevo pouco acidentado, sendo que as árvores já formadas fazem parte do antigo viveiro de plantas. O projeto de sua criação buscou estruturar os espaços de forma que eles pudessem se interligar, adaptando a inclinação do terreno, com um programa bem definido onde contemplação, esportes, educação, recreação infantil e eventos culturais, se desenvolvem com elementos como a vegetação, o curso d’água e uma parede de pedra formando cascata, proporcionando uma grande variedade de cenários.
Horário de funcionamento:
6h às 22h 
Recursos:
    PlaygroundAcessibilidadeProgramação culturalTrilha
Telefone:
(11) 4332-4510
Localização:
Avenida Kennedy, 1.111, Bairro Anchieta, São Bernardo do Campo, SP
Ver no mapa

sexta-feira, 29 de julho de 2016

Parques de São Paulo têm planetários gratuitos para toda a família

Os planetários são opções divertidas para crianças e adultos e há dois localizados em São Paulo: no Parque do Ibirapuera, na região central, e no Parque do Carmo, em Itaquera, na zona leste da capital.

Os planetários são espaços para aprender um pouco sobre a Astronomia e despertar o interesse pelas ciências. Em grandes centros metropolitanos como São Paulo, em que a observação do céu é prejudicada pela poluição atmosférica, nuvens e pela iluminação noturna, os planetários podem ser uma ferramenta para o ensino básico de Astronomia para todos.

As salas de projeção têm uma cúpula e as cadeiras estão dispostas de forma circular para o espectador aproveitar ao máximo as viagens projetadas pelo céu: configuração dos astros, em qualquer instante e em qualquer lugar da Terra ou do Sistema Solar, constelações, fenômenos astronômicos como eclipses, rotação de planetas, meteoros, por meio de projeção luminosa.

Também é possível simular uma viagem espacial pelo Sistema Solar, eclipses, fases da Lua e outros fenômenos cósmicos.

Nos dois planetários, as sessões duram 30 minutos. Horários: 10h, 12h, 15h e 17h, todos os sábados, domingos e feriados. Os eventos são gratuitos.


Ambos os planetários são geridos pela UMAPAZ – Universidade Aberta de Meio Ambiente e Cultura de Paz, a qual desenvolve ações de Educação Ambiental da SVMA – Secretaria do Verde e Meio Ambiente.

Parque do Ibirapuera


O Planetário Prof. Aristóteles Orsini é o primeiro do Brasil, fundado em 1957,
e tem uma cúpula de 9m de altura e 18m de diâmetro. As estrelas são representadas com alto nível de fidelidade com a natureza, tanto em brilho como em cor, projetadas através de 9.000 fibras ópticas e 42 conjuntos de lentes.

O prédio é importante patrimônio histórico, científico e cultural, tombado pelo Conselho Municipal de Tombamento e Preservação do Patrimônio Histórico, Cultural e Ambiental da Cidade de São Paulo (Conpresp) e pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado (Condephaat). 
A entrada é pela Av. Pedro Álvares Cabral, Portão 10 (pedestres) ou Portão 3 (Estacionamento- zona azul).
Divisão de Astronomia e Astrofísica - Escola Municipal de Astrofísica
Tel.: 11 5575-5206 

Você também pode visitar o planetário para observações noturnas (veja abaixo) ou para participar de palestras para aprender conceitos básicos de astronomia.

Parque do Carmo - Olavo Egydio Setúbal
A cúpula do Planetário do Carmo tem 10m de altura e 20m de diâmetro e em seu centro está o planetário modelo Universarium VIII/IX. No equipamento da zona leste, as estrelas são representadas com alto nível de fidelidade por meio de 9.000 fibras ópticas e 109 conjuntos de lentes.

No Planetário do Carmo, antes e depois de cada sessão aos fins de semana e feriados, os visitantes poderão levar, cada um, um livro para casa doado pela Ação Cultural "Adote um livro e transforme-se".

Planetário do Parque do Carmo
Endereço: Av. Afonso Sampaio Souza, 951 - Itaquera
Telefone: 11 2522-4669


Observações para ambos os planetários:
Por questões relacionadas à segurança e ao ambiente interno da sala durante as sessões, é permitida a entrada de crianças a partir de 5 (cinco) anos, desde que os pais ou responsáveis apresentem o documento de identidade.
É importante destacar que, em fins de semana de 4 (quatro) dias, prolongados por feriados, não haverá sessão na emenda da data comemorativa.

Senhas em sessões para o público: As senhas para as exibições ao público serão distribuídas sempre a partir de uma hora antes do horário das sessões, ou seja, a partir de 9h, 11h, 14h e 16h dos sábados, domingos e feriados.

Atenção! Não será feita reserva de lugares por telefone, internet, e-mail ou qualquer outro método que não seja a distribuição de senhas dentro dos horários estabelecidos.

Por Letícia Jardim Guedes - Redação Áreas Verdes das Cidades

sábado, 23 de julho de 2016

Aproveite a Ciclofaixa de Lazer aos domingos para visitar 3 parques da região central de São Paulo


Você pode aproveitar os domingos para visitar pedalando 3 parques da região central de São Paulo - Parque do Ibirapuera, Parque do Povo (Itaim Bibi) e Parque das Bicicletas (Moema) - utilizando uma das Ciclofaixas de Lazer, iniciativa da Prefeitura que separa uma faixa das ruas para o uso exclusivo de bicicletas - as Ciclofaixas de Lazer.

A sugestão do site Áreas Verdes das Cidades é que você saia do Parque do Povo e siga até o Parque do Ibirapuera e, se estiver no pique, vá até o Parque das BicicletasAs vias são na grande maioria planas e o trajeto pode durar cerca de 40 minutos para chegar. Mas o tempo da viagem você decide! 

As Ciclofaixas de Lazer funcionam das 7h às 16h e têm sinalização própria, pintura no asfalto, além de cones entre a faixa para bicicletas e as demais para carros que garantem mais segurança. A velocidade máxima para automóveis também é reduzida durante o funcionamento.

Não se preocupe muito com o caminho, pois há sinalização (principalmente pintada na via) para o trajeto até os parques. Se quiser confira no mapa as ruas pelas quais irá passar ou veja na descrição abaixo.

Pela ciclofaixa, o trajeto tem 4,5 km (Parque do Povo ao Parque do Ibirapuera – Portão 7 -Avenida República do Líbano com rua Professor Filadelfo de Azevedo), e leva em média 30 minutos. Do Parque do Povo diretamente para o Parque das Bicicletas, cerca de 4,3 km. Entre os parques do Ibirapuera e das Bicicletas o percurso é de 1,5 km (15 minutos).

As principais vias são a Avenida Henrique Chamma  (Parque do Povo), Avenida Chedid Jafet, Rua Funchal, Rua Gomes de Carvalho, Rua Olimpíadas, Rua Fiandeiras, Avenida Brigadeiro Faria Lima, Avenida Helio Pellegrino e no cruzamento da Rua Inhambu com a Avenida República do Líbano você pode optar: à esquerda, o Parque do Ibirapuera, e à direita, o Parque das Bicicletas.

Não se esqueça, menores de 12 anos devem ir acompanhados de responsáveis.


Os parques permitem o uso de bicicletas, então aproveite para conhecê-los pedalando.
_____________________________________________________________________________________________________________
OBS.: Informações e programações sujeitas a mudanças e alterações.
Crédito da foto: "Eu Vou de Bike.com".
_____________________________________________________________________________________________________________

Ver mapa do percurso:

Por Letícia Jardim Guedes - Redação Áreas Verdes das Cidades

sábado, 16 de julho de 2016

Conheça os 10 parques de SP com pistas exclusivas e áreas para skate


O site “Áreas Verdes das Cidades” relacionou 10 parques da região metropolitana de São Paulo com pistas especiais para a prática de skate - e outras áreas que se tornaram sinônimas do esporte, como a marquise do Parque do Ibirapuera.

O recém inaugurado Parque Municipal Chácara do Jockey, no Butantã, zona oeste, tem o maior skate parque de São Paulo e é capacitada inclusive para receber competições internacionais. Todo o traçado das pistas foi projetado em parceria com a Federação Paulista de Skate. A área de street, pista com obstáculos como corrimões, paredes inclinadas e escadarias, possui 965m². Já a Bowl, pista em formato de piscina no modelo quadribanks, conta com uma área de 400m².

Um dos parques mais frequentados pelos skatistas é o Parque Zilda Natel, ao lado da estação do metrô Sumaré (zona oeste da capital). Há uma grande variedade de pistas: com obstáculos de street, bowl e half pipe.

No Ibirapuera (região central), a marquise do parque, ao lado do MAM ( Museu de Arte Moderna), está sempre cheia de skatistas aproveitando o chão liso de concreto para treinar suas habilidades.

O Parque Jacuí, no bairr
o União Vila Nova (zona leste), oferece uma super pista com bowl e half pipe, fique atento ao horário de fechamento do parque: às 17h.

No Parque Estadual Cândido Portinari, na zona oeste, dá para praticar downhill na pista de skate asfaltada.

Outro lugar procurado pelos skatistas é o Parque Independência (zona sul), mas cuidado: só há permissão na parte inferior (Praça do Monumento), entrando pela Rua dos Patriotas em direção ao Monumento à Independência.

Também na zona sul está Parque do Cordeiro ou Martin Luther King com pistas half pipe.

Na zona norte da capital, o Parque da Juventude atrai muitos skatistas pois tem uma das melhores pistas da cidade.

Região Metropolitana de São Paulo

Na cidade de Carapicuíba, o Parque Gabriel Chucre tem uma ampla área para o skate (foto) e em Guarulhos está o Bosque Maia com half pipe, obstáculos de street e bowl.

Por Letícia Jardim Guedes - Redação Áreas Verdes das Cidades

quinta-feira, 14 de julho de 2016

"Dicas" para visitar uma área verde urbana (parque/praça)

Antes de sair para visitar uma área verde (parque/praça), tome algumas precauções e leve:
  • Boné e filtro solar nos dias ensolarados, especialmente para as crianças;
  • Óculos para Sol;
  • Garrafas d'água, pois nem todos têm lanchonetes e em alguns nem ambulantes nas proximidades;
  • Máquina fotográfica, celular ou filmadora para registrar o passeio;
  • Binóculos, especialmente para os aficionados por pássaros e que curtem "passarinhar" ("birdwatching");
  • Um cadeado para quem vai de bicicleta, deixando-a em algum "paraciclo" em parques em que não são permitidas circularem;
  • Repelente para insetos, especialmente, em parques com trilhas mais "fechadas" pela vegetação e 
  • Caso vá levar seu cachorro (confira se há restrição no local), não esqueça de sacos adequados para colocar os dejetos do animal.
É recomendável:
  • Utilizar o campo "Pesquisar" do site Áreas Verdes das Cidades (www.areasverdesdascidades.com.br) para assuntos/locais de seu interesse (por exemplo, em que parques há ciclovias, orquidários, piscinas, etc.);
  • Ver no "box" que consta das publicações/resenhas do site a "localização" da área verde a ser visitada, acessando o botão "Ver no mapa" para traçar seu roteiro;
  • Conferir o horário de funcionamento do parque;
  • Verificar no site se há estacionamento para veículos no parque escolhido (são poucos os parques que os possuem) e caso vá de transporte coletivo, veja as linhas que atendem o local;
  • Ver se há algum tipo de restrição no local para passear com animais, usar bicicletas, skates, etc;
  • Conferir a programação cultural e esportiva no parque, pois pode haver algo que lhe interesse e "curta";
  • Observar o item "Vale a pena", que assinala as atrações recomendadas pelo site e
  • Contatar a administração do parque (há quase sempre um telefone), caso tenha alguma dúvida.