quinta-feira, 5 de julho de 2012

Parque do Carmo - Olavo Egydio Setúbal em São Paulo


Visitamos o Parque do Carmo numa 4a. feira, que fica localizado no bairro de Itaquera, na zona leste da capital e tem por volta de 2.400.000  de área. Recentemente foi ampliado em cerca de 840.000 m² em área onde funcionou o extinto Aterro São Mateus.
Além da natureza para se curtir, tem uma boa programação cultural e esportiva, incluindo o "Bosque da Leitura".

Horário de funcionamento:
6h às 20h
Recursos:
    Campo de futebol   Playground   Trilha     Estacionamento   Ciclovia   Programação cultural
Telefones
(11) 2746-5001 e 2748-0010
Localização:
Av. Afonso de Sampaio Souza, 951, Itaquera
 Ver no mapa 
Avaliação do parque (0 a 5) é 3,6.

Para chegar ao parque há inúmeras linhas de ônibus, entre as quais a 2522-10 Shopping C. L. Aricanduva – Vila Progresso, 3027-10 Shopping Aricanduva – Vila Minerva, 3406-10 Terminal Pq. D. Pedro II – Cohab Juscelino, 3760-10 Metrô Tatuapé – Jardim Cibele, 3760-42 Metrô Tatuapé – Jd. N. Sra. do Carmo e 3774-10 Metrô Tatuapé – Jd. Soares.
Há um estacionamento gratuito para veículos com entrada pela Av. Osvaldo Pucci, ao lado de um Distrito Policial.

Infraestrutura
Museu do Meio Ambiente, lagos, estacionamento, anfiteatro natural, aparelhos de ginástica (barras), campos de futebol, ciclovia, pista de cooper, planetário, playgrounds, quiosques e cerca de 80 churrasqueiras. Gramado para piquenique, sanitários, "Bosque de Leitura", Planetário do Carmo e Viveiro.

Não há lanchonetes no parque. Água, refrigerantes e "petiscos" podem ser comprados de ambulantes que ficam nas principais entradas do local. 

Fauna
Um dos parques com maior diversidade de fauna, no qual foram constatadas 134 espécies, sendo 117 de aves. Fazem uso do lago garças, mergulhão-pequeno e irerês. As diferentes paisagens do Carmo oferecem a oportunidade de observar aves ameaçadas de extinção como o majestoso gavião-pega-macaco, as inquietas maracanãs-nobre e o papagaio-verdadeiro, que ali nidificam. Por dispor de um remanescente de Mata Atlântica, podem-se observar espécies endêmicas como a borralhara-assobiadora, pica-pauzinho-verde-carijó, pula-pula-assobiador e espécies florestais como a choquinha-lisa e a choca-da-mata de difícil observação, porém traídas por suas vocalizações. Quando se trata de cantos não podemos deixar de citar o trinca-ferro-verdadeiro, o melro e canário-da-terra. Coruja-orelhuda, coruja-buraqueira e curiangos são exemplares de aves noturnas com manifestação sutil e, por isso, difíceis de serem avistadas. Várias espécies de beija-flores ocorrem na área. Espécies vistosas como o sanhaçu-de-fogo, saíra-viúva, saí-azul, fim-fim e saí-andorinha também podem ser observadas. Dentre os mamíferos, há ocorrência de veado-catingueiro, gambá-de-orelha-preta, preguiça-de-três-dedos, tatus, caxinguelê e ouriço-cacheiro.

Flora
Remanescentes da Mata Atlântica, com mata ciliar, campos antrópicos, brejos e gramados, encontrando-se espécies nativas e exóticas como angico-branco, araribá, pau-brasil, pau-ferro, jacarandá-paulista, quaresmeira, gameleira, seafórtia, pau-jacaré e grevilha-gigante. Ocorrem áreas com eucaliptal, um cafezal, pomar e bosque de cerejeira-de-okinawa. Hoje o parque possui 2.300 árvores de cerejeiras que florescem uma vez ao ano e é considerado o 2º maior Bosque de Cerejeiras no mundo fora do Japão.

Não há restrições para animais domésticos, desde que estejam, no caso de cães, em guias ou focinheiras, para os maiores ou bravos. 

Há vários vigias no parque, conferindo-lhe segurança.

História
A área pertencia à fazenda de Oscar Americano de Caldas Filho, que ali costumava passar os finais de semana com a família e amigos. O casarão da fazenda foi mantido como parte das edificações do parque. Na região há grande comunidade nipônica, que todos os anos se reúne em volta do Bosque das Cerejeiras. Esteiras são estendidas sob as cerejeiras e as pessoas observam a chuva de pétalas, tal como acontece no Japão. 

Informações gerais do parque, inclusive sobre a programação cultural, podem ser obtidas pelos telefones da administração (11) 2746-5001 e (11) 2748-0010.

Vale a pena
  • Caminhar e/ou correr pela pistas existentes, observando a flora e fauna (vastíssima) acima descritas;
  • Participar de eventos do Centro de Educação Ambiental (CEA);
  • Visitar o "Bosque das Cerejeiras" no final de julho ou início de agosto, quando há a florada. A comunidade japonesa faz uma festa (o "Hanami") em frente ao bosque, onde, entre outras atrações, há espetáculos de dança e são servidas comidas típicas;
  • Visitar o Planetário do Carmo  com atividades gratuitas;
  • Participar do "Bosque da Leitura" (v. programação aqui) e
  • Apreciar a obra do artista Kota Kinutani, composta por sete pedras de granito, simbolizando o Sol e os seis Continentes.
Vejam vídeo feito no local, quando da visita (sugiro "clicar" no ícone do "YouTube" para uma melhor visualização):


A seguir, fotos tiradas no parque:


Entrada do estacionamento do parque


Estacionamento





Estacionamento

Homenagem da colônia japonesa







Serralheria






Sanitários



Esquilo subindo numa árvore

Esquilo descendo numa árvore


Esquilo

Quiosque com churrasqueiras





Panorâmica do lago

Obra do artista Kota Kinutani, composta por sete pedras de granito, simbolizando o Sol e os seis Continentes.

Uma das pedras da obra citada acima


Uma das pedras da obra citada acima

Uma das pedras da obra citada acima

Uma das pedras da obra citada acima

Playground


Uma das pedras da obra citada acima

Pista de caminhada/corrida a beira do lago



Panorâmica da pista de caminhada/corrida a beira do lago




Pista de caminhada/corrida a beira do lago


Avifauna local

Avifauna local
Gramado com equipamentos para ginástica


Frequentadores exercitando-se


Sanitários




Saída do parque para a Av. Afonso de Sampaio e Souza

Conjunto de churrasqueiras

Entrada do Parque pela Av. Afonso de Sampaio e Souza, 951



Salão para eventos diversos
Centro de Educação Ambiental (CEA)


Acesso ao CEA





Bebedouros









Planetário
Planetário ao fundo






Aparelhos para ginástica



Salão para treinamento da Guarda Civil Metropolitana e para o "Bosque da Leitura" nos finais de semana

Salão para treinamento da Guarda Civil Metropolitana e para o "Bosque da Leitura" nos finais de semana

Estacionamento para veículos

Estacionamento para veículos



Pista para caminhar/correr ao lado do lago
Soccer designed by Derek Britton from The Noun Project

6 comentários:

  1. Olá Guedes
    Muito boa a descrição do Parque do Carmo, que talvez só os paulistanos da zona leste conheçam bem, mas acho que valeria a pena que moradores de outras áreas fossem conhecer.
    Só como uma contribuição, achei estes links sobre um dos componentes da fauna e outro da flora:

    http://www.wikiaves.com.br/coruja-orelhuda

    http://pt.wikipedia.org/wiki/Gameleira
    Abs
    Nelson

    ResponderExcluir
  2. o parque do carmo é minha pista de corrida, lindo.

    ResponderExcluir
  3. Muito bom o seu trabalho, parabéns. No item animais, cliquei um preá no Parque e quanto ao Planetário, infelizmente essa reforma já dura "séculos". Nem sei se chegou a funcionar.

    ResponderExcluir
  4. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site