terça-feira, 22 de novembro de 2016

Parque Henrique Lage no Rio de Janeiro

Parque Lage
O Parque Henrique Lage, visitado pelo Áreas Verdes das Cidades numa sexta-feira, fica localizado no bairro do Jardim Botânico no Rio de Janeiro. Ocupa uma área de 520.000 m², tendo uma grande área verde com um bonito palacete ao centro. Os jardins frontais são gramados e os laterais compostos de imensa floresta entremeada por plantas e flores, por onde passeia-se por caminhos pitorescos, passando por uma pequena ponte, ala de palmeiras e até um aquário em forma de pequena caverna. O local abriga também a Escola de Artes Visuais (EAV)Desde 2004, o Parque Lage é parte do Parque Nacional da Tijuca, sob a administração do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade.
Horário de funcionamento:
8h às 17h (18h no horário de verão) 
Recursos:
    PlaygroundAcessibilidadeProgramação culturalTrilha
Contatos:
(21) 3257-1800/1840; EAV: (21) 2334-4088
Localização:
Rua Jardim Botânico, 414, Jardim Botânico, Rio de Janeiro (RJ)
Ver no mapa

Como chegar ao Parque Lage
Há muitas linhas de ônibus que servem o Jardim Botânico, entre as quais as de números 581 - Circular, 548 - Metrô Botafogo, 101 - Jardim de Alah, 538 - Leme, 105 - Alto Gávea, 2014 - Rodoviária, 775 - Gávea e 751 - Charitas (Niterói).
Para saber sobre linhas de ônibus, fornecendo origem e destino, consulte o site da Rio Ônibus (clique aqui).
De carro vá ao box ao lado e clique em "Ver no mapa", traçando seu roteiro.

Há um pequeno estacionamento para veículos no interior do parque, mas só para a administração e os alunos da EAV. Por isso, estacione em ruas próximas, cientificando-se quanto à sinalização do trânsito ou melhor ainda, sugerimos utilizar o transporte público ou táxis.

Para saber a previsão do tempo para a cidade do Rio de Janeiro, clique aqui.

Infraestrutura do Parque Lage
Possui um palacete em estilo romano, onde fica a EAV, e um jardim frontal geométrico. Os jardins laterais, ao contrário deste que é gramado e descampado, é composto de densa vegetação, formando uma verdadeira floresta de árvores. Há sanitários (limpos no dia da visita), jardins construídos nos moldes europeus, chafariz e bancos para descanso. O Parque possui, ainda, um Aquário em argamassa, o qual imita pedras e troncos de árvores; uma edificação da Cavalariça em estilo neogótico; pontes; bancos; quiosques e uma gruta compõem a beleza artística da obra do parque. Há caminhos de saibro que levam os visitantes a determinados locais com vegetação abundante e a um lago, este último conhecido como “Lago dos patos”. Para as crianças há espaços com brinquedos como balanços, gangorras e escorregadores e para os praticantes de trilhas há a grande atração que os levam ao Corcovado, cruzando as florestas do Parque Nacional da Tijuca. Essa trilha, entretanto, é de grau de dificuldade alta e exige esforço físico, não sendo recomendada para iniciantes. Em cerca de duas horas e meia de subida, os aventureiros subirão cerca de 600 metros. O esforço é compensado com uma vista maravilhosa. Recomenda-se ir pela trilha em grupo por questão de segurança, pois é bem erma.


Flora
Como faz parte do Parque Nacional da Tijuca, sua flora é muito diversificada. Há palmeiras, jaqueiras, caetés, helicônias, murici, ipê-amareio, ipê-tabaco, angicos, caixeta-preta, cambuí, urucurana, jequitibá, araribá, cedro, ingá, açoita-cavalo, pau-pereira, cangerana, canelas, camboatá, palmito, brejaúba, samambaiaçus, quaresmeiras, caetés, pacovas, líquens, musgos, orquídeas e bromélias.

Fauna
Nas imediações do palacete há nas proximidades das pistas de pedestres, saguis, arapongas, beija-flores, entre outras espécies. Na mata propriamente dita ocorrem numerosos insetos, aranhas e outros artrópodes; cobras como caninanas, corais, jararaca e jararacuçus; lagartos como calangos, iguanas e teiús; aves como saíras, rendeiras, tangarás, gaviões, urubus, urus, jacupembas e inhambus-chintã; mamíferos como sagüis, macacos-prego, cachorros-do-mato, quatis, guaxinins, pacas, ouriços-coendu, caxinguelês, tapitis, tatus, tamanduás-mirim, gambás, entre outros. 

Mapas gratuitos indicando as atrações do Parque Lage são distribuídos no seu Centro de Visitantes (Cavalariças).

Há um restaurante/cafeteria no interior do parque, que vende bebidas e alimentos num ambiente agradável à beira da piscina do palacete existente.

No tocante à segurança geral do local, observamos alguns poucos vigias percorrendo-o, transmitindo tranquilidade aos visitantes.

Atenção! Há restrição para a entrada de animais domésticos no parque, bem como a  utilização de bicicletas, bolas, skates, patins e assemelhados

Sinopse histórica do Parque Lage
Antigo engenho de açúcar na época do Brasil Colonial, o Parque Lage pertenceu a Antonio Salema, Governador do Rio de Janeiro no século XVI. Após 1660, a propriedade passou a pertencer à família Rodrigo de Freitas Mello. Em meados do século XIX, um nobre inglês comprou partes da terra e contratou o paisagista inglês John Tyndale para projetar um jardim de estilo romântico, nos moldes das quintas européias. Em 1931, o empresário Henrique Lage, que havia comprado a propriedade, mandou construir uma réplica de um "Palazzo Romano"para sua esposa, a cantora lírica italiana Gabriela Besanzoni. Projetado pelo arquiteto italiano Mário Vodrel, o casarão tem sua fachada principal e pórtico revestido de cantaria e mármores, azulejos e ladrilhos importados da Itália. Os jardins compreendem 174 mil metros quadrados de floresta exuberante com espécies da Mata Atlântica. A propriedade é parte hoje do Parque Nacional da Tijuca. Estes atributos motivaram o tombamento do complexo arquitetônico do Parque Lage e de seu entorno pelo IPHAN - Instituto do Patrimônio Histórico Artístico e Nacional, em 1957, e pelo INEPAC - Instituto Estadual do Patrimônio Cultural, em 1965, como patrimônio paisagístico, ambiental e cultural.
Desde 1975 o Parque Lage abriga a Escola de Artes Visuais (EAV) do Parque Lage, vinculada à Secretaria de Estado de Cultura. 

Há inúmeros eventos culturais que são realizados na área do parque. Para saber a programação consulte os contatos da administração constantes do "box" acima.

Vale a pena no Parque Lage
  • Visitar o palacete onde fica a Escola de Artes Visuais (EAV) ;
  • Caminhar pelas pistas/trilhas do local, observando a vegetação ao redor;
  • Fazer piqueniques em locais próprios para isso no parque;
  • Fazer uma refeição no bom restaurante/cafeteria no interior do palacete;
  • Participar das atividades culturais promovidas nas áreas apropriadas do parque e
  • Visitar o aquário existente no local.
_____________________________________________________________________________________________________________
OBS.: Informações e programações sujeitas a mudanças e alterações.
Fonte dos textos: "Websites da EAV" (http://eavparquelage.rj.gov.br) e do "Parque Nacional da Tijuca"(http://www.parquedatijuca.com.br/). Portais "rioshow" (http://rioshow.oglobo.globo.com) e "Rio de Janeiro Aqui (http://www.riodejaneiroaqui.com).
____________________________________________________________________________________

Veja vídeo do Parque Lage feito na visita

A seguir, veja fotos no Parque Lage tiradas no dia da visita (Atenção! Ao "clicar" em qualquer foto, abre-se, automaticamente, o modo de exibição "Tela Cheia" de seu computador e por meio de suas teclas "Setas" (➡⬆⬅), podem ser visualizadas todas as fotos tiradas do local).

Parque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque LageParque Lage

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site