terça-feira, 17 de janeiro de 2017

Mata Atlântica _ História e Evolução

A história da Mata Atlântica tem seu início há 50 milhões de anos, quando o continente sul-americano já era uma massa de terra isolada e suas formas de vida passaram a evoluir localmente, sem transtornos geológicos adicionais. Ao longo desse tempo, no período Quaternário, a floresta passou por períodos de fragmentações e expansões, em decorrências das inúmeras eras Glaciais que ocorreram durante esse período. Nos períodos em que o planeta se encontrava com temperaturas mais baixas, os refúgios eram centros em que a biodiversidade florestal evoluía de forma isolada. Essa hipótese pode explicar a enorme diversidade desse bioma, tal como seu alto grau de endemismo.

Mata Atlântica ocupa grande parte da costa leste do Brasil, estendendo-se do Rio Grande do Norte a Santa Catarina.  O bioma é composto por formações de florestas diversas, sendo elas a Floresta Ombrófila Densa, a Ombrófila Mista (Mata de Araucárias), a Estacional Decidual e a Ombrófila Aberta, além de ecossistemas associados, como as restingas, manguezais, campos de altitude, brejos interioranos e encraves florestais no nordeste.

Apesar de serem chamadas de forma diferente, as florestas citadas possuem condições geoclimáticas similares, com um alto volume e uniformidade de chuvas, por isso, mesmo com algumas diferenças, elas formam um todo comum.

Originalmente a Mata Atlântica possuiu cerca de 1.110.182 Km² de extensão, mas, atualmente, conta com aproximadamente 22% da sua cobertura original, sendo apenas 7% em fragmentos bem conservados. Entre os fatores causadores da degradação e desmatamento, destaca-se o fato dos principais ciclos econômicos do Brasil ocorrerem, historicamente, em áreas de cobertura vegetal da Mata Atlântica.





Fauna e flora
Entre as espécies mais conhecidas da fauna da Mata Atlântica estão o mico-leão dourado, o bicho preguiça, a onça-pintada, a capivara, o tamanduá-bandeira, a jaguatirica, o tucano, o beija-flor, as araras, o jacaré-do-papo-amarelo, a rã-de-vidro, o pacu e o pintado.

Já entre as espécies da flora, algumas das mais conhecidas são: o Cedro, a Canela, o ipê, o Jatobá, o Jequitibá e a Palmeira.
Apesar de problemas com a degradação de suas florestas, a Mata Atlântica tem uma biodiversidade com inúmeras espécies e várias delas, infelizmente, estão ameaçadas de extinção. Confira números sobre a fauna e a flora do bioma:


  • 20.000 espécies de plantas identificadas, sendo 8.000 dessas espécies endêmicas;
  • 270 espécies de mamíferos;
  • 992 espécies de pássaros;
  • 197 espécies de répteis;
  • 372 espécies de anfíbios e 
  • 350 espécies de peixes.
______________________________________________________________________________________
OBS.: Informações sujeitas a mudanças e alterações.
Fontes dos textos: "Websites da Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/) e "Site da SVMA de São Paulo (http://www.prefeitura.sp.gov.br/cidade/secretarias/meio_ambiente/).
______________________________________________________________________________________________________________________

Foto extraída de jconline.ne10.uol.com.br

Foto extraída de conferenciademeioambientedebh.wordpress.com

Foto extraída de www.oestadoce.com.br

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site