quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Parque Trianon ou Tenente Siqueira Campos em São Paulo

Parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como Trianon, situa-se no bairro Cerqueira César, tendo sido criado em 1892. Tem 48.600 metros quadrados de área e é um "oásis" para quem trabalha ou passa na turbulenta e frenética Avenida Paulista (fica na altura do seu n⁰ 1700), especialmente nos dias úteis. O piso das pistas e trilhas chama a atenção e distingue-o de outros parques pois é formado por belas pedras portuguesas.  Aos domingos o parque chega a receber cerca de 8.000 visitantes.
Horário de funcionamento:
6h às 18h
Telefones:
(11) 3253-4973 e 3289-2160
Localização:
Rua Peixoto Gomide, 949, Cerqueira César
Ver no mapa

Avaliação geral do parque (0 a 5): 3,0

Para ir ao parque utilize uma das linhas de ônibus como a 106A-10 – Metrô Santana – Itaim Bibi, 175P-10 – Edu Chaves – Ana Rosa, 478P-10 – Sacomã – Pompéia, 508L-10 – Term.Princ. Isabel – Aclimação (circular) e 577T-10 – Jd. Miriam – Vila Gomes. Para saber outras linhas de ônibus, fornecendo origem e destino, ligue para o telefone 156  da PMSP ou pelo site da Sptrans (clique aqui). 
Para ir de carro, utilize o link "Ver no mapa" no box acima e trace seu roteiro.
De Metrô, desça na Estação Trianon-Masp (Linha 2 Verde). 
Aos domingos das 7 às 16h funciona a Ciclofaixa de Lazer "Circuito Centro-Paulista" que passa na Avenida Paulista em frente ao parque. 

Infraestrutura

Trilha do "Fauno", playgrounds, aparelhos de ginástica, pistas/trilhas para caminhadas e/ou corridas e sanitários, que são bem cuidados e limpos.  Destaques ficam por conta do "Fauno", escultura de 1942 do artista Victor Brecheret (1894 a 1955), "Aretusa" de Francisco Leopoldo Silva (1879 a 1948) e uma obra de 1935 em bronze e mármore do artista Luigi Brizollara (1868 a 1937), representando "Bartolomeu Bueno da Silva, o Anhanguera", que fica próxima à entrada do parque pela Avenida Paulista.

Apresenta 38 espécies de fauna identificadas, das quais 29 são de aves. Dentre as endêmicas de Mata Atlântica podem ser vistas o periquito-rico e o sanhaçu-de-encontro-amarelo. O parque também é visitado pelo gavião quiri-quiri e carijó, saíra-amarela, alem das esporádicas visitas do sabiá-ferreiro notada pela sua bela vocalização. A rãzinha-piadeira, espécie endêmica de mata atlântica pode ser ouvida no parque. Apesar de ser um parque central, abriga algumas espécies de morcegos.

Sua flora é composta por remanescentes da Mata Atlântica com grandes exemplares de araribá, canela-amarela, jequitibá, cedro-rosa, sapucaia, pau-ferro, sapopemba e tamboril, além de exemplares de abiurana, tapiá-guaçu, palmito-jussara, andá-açu, guaraiúva e camboatá. No sub-bosque há espécies exóticas introduzidas como palmeira-de-leque-da-china e seafórtia e mudas de espécies nativas plantadas para enriquecimento florístico. Foram registradas 135 espécies, das quais 8 estão ameaçadas como a cabreúva, o chichá e o palmito-jussara .


Não há estacionamento no interior do parque, porém existe um pago, subterrâneo, ao lado do parque sob a Praça Alexandre de Gusmão com entradas pela Alamedas Jaú e Santos. Aos domingos pode-se estacionar nas ruas laterais ao parque ("Dica": Alameda Jaú em frente ao Colégio 
Dante Aleghieri) 


Não há estabelecimentos para a venda de bebidas e alimentos dentro do parque. Caso queira, leve-os de casa ou compre-os em alguns bares próximos na avenida Paulista.

Atividades físicas como caminhadas e/ou corridas podem ser realizadas em praticamente toda a área do Parque. Para fazer ginástica específica, o usuário pode usufruir do Espaço Academia ao Ar Livre, que dispõe de alguns equipamentos para exercícios físicos.

Quanto à Segurança, além dos vigias do parque, há guardas da GCM que percorrem o parque, normalmente de bicicletas, transmitindo a sensação de segurança.

Ressaltamos que não é permitida a utilização de skates, patins, patinetes, bicicletas e equipamentos similares. 

Não há restrições para animais domésticos, desde acompanhados e presos com guias e focinheiras (no caso de animais de grande porte e/ou bravios).

Sinopse histórica
O Parque Tenente Siqueira Campos, mais conhecido como Parque Trianon ou Parque do Trianon, foi inaugurado em abril de 1892 com a abertura da Avenida Paulista em São Paulo, tendo sido projetado pelos paisagistas Paul Villon (francês) e Barry Parker (inglês).

No início da década de 1910, no local onde hoje se localiza o Museu de Arte de São Paulo (MASP), foi construído um belvedere com projeto do arquiteto Ramos de Azevedo (na administração do Barão de Duprat), que ficou conhecido como Trianon. Durante as décadas de 1920 e 30, frequentado pela intelectualidade paulistana, o parque e o belvedere transformaram-se em símbolo da riqueza da elite da cidade e formavam um harmonioso conjunto integrado. Foi demolido em 1957 para dar lugar ao MASP.

Em 1924, o parque foi doado à prefeitura, e, em 1931, recebeu sua denominação atual em homenagem a um dos heróis (Antônio de Siqueira Campos) da Revolução do Forte de Copacabana, na Revolta Tenentista .

Há várias atividades culturais e esportivas gratuitas promovidas pela administração do parque, como lian gong, tai chi cuan, prática de exercícios terapêuticos chineses, dança circular, pilates, etc. Consulte o telefone da administração do parque quanto aos dias e horários disponíveis. 

Para maiores informações sobre o parque entre em contato com sua administração pelos telefones (11) 3253-4973 e 3289-2160.

Vale a pena
  • Caminhar e/ou correr pelas boas pistas e trilhas, admirando a flora e a avifauna presentes, especialmente, no sub-bosque e 
  • Participar atividades culturais e esportivas gratuitas promovidas pela administração do parque e/ou da Secretaria Municipal do Meio Ambiente da PMSP. 

Veja vídeo feito no local, quando de visitas (sugerimos "clicar" no ícone do "YouTube" para uma melhor visualização).


A seguir, veja fotos tiradas no local nos dias das visitas.

3 comentários:

  1. Para completar, faltou adicionar o busto de Joaquim Eugênio de Lima feito por Roque De Mingo.

    ResponderExcluir
  2. Nas fotos que compõem a resenha há uma do busto citado acima.

    ResponderExcluir
  3. Fiquei surpreso com a riqueza de informações, fotos e detalhes do site. Não conhecia o "Áreas Verdes das Cidades" e certamente servirá como um importante guia para definir passeios com meus filhos. Gostei muito da sugestão do Templo Kinkaku-ji em Itapecerica da Serra e de conhecer um pouco da história do Eng. Joaquim Eugênio de Lima, por ser uma rua que já morei. Parabéns pelo site e pela iniciativa e espero que continue atualizando sobre as novidades. Seria interessante, para os parques em outras cidades, incluir sugestões de onde almoçar, especialmente para os locais onde não tem infra de lanchonete.
    abs
    Renato

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site