sexta-feira, 5 de julho de 2013

Casa e Jardins de Monet em Giverny - França

Visita feita numa quinta-feira à Casa e aos Jardins de Monet, que ficam na cidade de Giverny a 75 Km de Paris na Alta Normandia francesa. O pintor residiu por 43 anos (1883 a 1926) nessa casa e seus jardins, em especial, o inspiraram em sua vastíssima obra. O local recebe por volta de 500.000 visitantes por ano, ficando fechado durante o inverno europeu.

Horário de funcionamento:
De 24 de março a 01 de novembro, todos os dias das 9:30h às 18h (última entrada às 17:30h)
Telefone ligando de fora da França:
00 XX 33 02 32 51 28 21
Localização:
84, Rue Claude Monet, Giverny, França
Ver no mapa
O ingresso ao local é pago. Menores de 7 anos não pagam entrada. Há descontos para pessoas com necessidades especiais.

Para acesso ao local, estando em Paris, caso esteja de carro, faça seu roteiro em "Ver no mapa" no box ao lado. De trem, vá à Gare Saint Lazare (Estação do Metrô Saint Lazare) e pegue um para Vernon (v. horários aqui). A viagem dura 45 minutos e custa 27,20 € ida e volta. Em Vernon há ônibus para Giverny (dista apenas 6 Km), cujos horários são adequados aos das chegadas dos trens (15 minutos após) e custam 8 €.

Para ver a previsão do tempo em Giverny, clique aqui.

Há estacionamento para veículos nas proximidades da entrada do local.

A casa, restaurada, procura manter os móveis, utensílios e a atmosfera que tinha na época que Monet morou. Os jardins apresentam inúmeras espécies de flores, que em sua grande maioria, estavam presentes nos 43 anos que o pintor morou no local. Saiba mais sobre os jardins acessando o link "Jardins da casa de Monet". Quanto à casa e seu interior, maiores informações podem ser obtidas em "Por dentro da casa de Monet".

Não são permitidos animais domésticos e bicicletas no interior dos jardins. 

História (Extraída do site oficial da fundação)
Após a morte de Claude Monet, 5 de dezembro de 1926, Michel, seu único filho sobrevivente, herdou a propriedade em Giverny, com seus quadros e a importante coleção de gravuras japonesas. Preferindo correr safaris na África, não foi atraído para a casa da família. Blanche Hoschedé Monet, filha de Alice e viúva de John, o filho mais velho de Monet, manteve a casa e o jardim, com a ajuda do jardineiro Lebret. Com a morte de Blanche, em 1947, o jardim estava quase abandonado e a natureza seguia seu curso ...

Michel Monet morreu em 1966 em um acidente de carro. Sem um herdeiro, ele legou por testamento a propriedade e coleções de Giverny, para a Academia de Belas Artes. Jacques Carlu, arquiteto do "Palais de Chaillot", membro da Academia de Belas Artes e curador do Museu Marmottan, não tinha os meios financeiros para levar a cabo uma ação de restauração completa. No entanto, refez o telhado, protegendo as gravuras japonesas e levando o restante da coleção de pinturas para o Musée Marmottan.

Com a morte de Jacques Carlu, em 1977, a Academia de Belas Artes confiou a preservação  de Giverny a Gérald Van der Kemp, devido ao sucesso do restauro de Versalhes, onde ele foi o curador. A casa estava em mau estado, e desolação reinava no jardim. A propriedade estava coberta de silvas e ervas daninhas, muitas árvores morreram, estufas não tinham janelas ... No Jardin D' Eau, a ponte japonesa estava deteriorada e os bancos estavam destruídos.

Orçamentos da Academia de Belas Artes e do "Conseil Général de l’Eure" não eram suficientes. Gerald Van der Kemp e sua esposa Florence apelaram para os clientes americanos para salvar Giverny. Os doadores foram numerosos e muito generosos, o que permitiu realizar o trabalho de restauro.

Durante três anos, um trabalho considerável foi feito. A casa, oficinas, móveis e estampas foram restaurados. Gerald Van der Kemp e Gilbert Vahe, o jovem jardineiro-chefe, fizeram renascer os jardins. As árvores mortas foram cortadas, os canteiros trabalhados, a "Ponte Japonesa" foi reconstruída exatamente, mantendo as glicínias que Monet tinha plantado. A borda dos bancos foi reforçada por suportes de madeira. Arquivos, inúmeras fotografias e memórias de quem conheciam o jardim ajudaram a encontrar as plantas e variedades preferidas de Monet. Algumas espécies desapareceram, sendo substituídas por outras, similares. Finalmente, os jardins estavam prontos para os visitantes  com os corredores mais largos, cimentados e cercados com tijolos.

Em 1980, a Fundação Claude Monet foi criada e, em 1 de Junho, a propriedade abriu suas portas para o público. Muito rapidamente, tornou-se um destino cada vez mais popular para muitos visitantes de todo o mundo. Segunda atração da Normandia, depois de "Monte Saint Michel", é visitada por cerca de 500.000 pessoas anualmente.

Claude Monet nasceu em Paris em 14/11/1840, falecendo em 5/12/1926 aos 86 anos. Foi apresentado à pintura por Eugene Boudin por volta de 1856. Em 1872 Monet pintou "Impressão, nascer do sol" ("Impression: Soleil Levant", que atualmente está no Museu Marmottan de Paris), retratando uma paisagem de Le Havre, exibida na primeira exposição impressionista de 1874. O quadro deu origem ao nome usado para definir o movimento impressionista. Mais informações sobre a vida desse fantástico pintor podem ser vistas no site da Fundação que leva seu nome no link "Claude Monet".

Informações gerais sobre o local podem ser obtidas, quando na França, pelo telefone 02 32 51 28 21 ou pelo e-mail contact@fundation-monet.com

Vale a pena
  • Caminhar pelos jardins observando a grande quantidade de plantas e flores de múltiplas espécies;
  • Visitar a casa propriamente onde há um belo acervo com muitos móveis, quadros  e utensílios originais da época em que viveu Monet;
  • Percorrer, após uma passagem subterrânea sob um a rodovia,  o "Jardin D' Eau" onde estão as famosas ninféias e a ponte japonesa, motivos de vários quadros do pintor.

Veja vídeo feito no local, quando da visita (sugerimos "clicar" no ícone do "YouTube" para uma melhor visualização).
A seguir, veja fotos tiradas no local no dia da visita (Atenção! Ao "clicar" em qualquer foto, abre-se, automaticamente, o modo de exibição "Tela Cheia" de seu computador e por meio de suas teclas "Setas" (➡⬆⬅), podem ser visualizadas todas as fotos tiradas do local).
**Créditos das fotos também para Ivone Costa e Jennie Fujita.

3 comentários:

  1. Salut Guedes!
    Un grand travaille, des belles photos et une tournage excellente.
    Les Jardins de Monet sont vraiment une merveille et une sorce d'inspiration de ses peintures.
    À bientôt
    Nelson

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Merci, Nelson, pour le commentaire et d'encouragement. Je suis d'accord, la maison et les jardins de Monet a fait tout la difference à Giverny.
      À bientôt.

      Excluir
  2. Parabéns pelo conteúdo do site!
    mdf
    www.centralcaixas.com arte em mdf.
    Lhe manda um forte abraço.
    Quando puder faça-nos uma visita.
    Obrigado.

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site