segunda-feira, 6 de maio de 2013

Parque Ecológico do Tietê em São Paulo

Visitamos num domingo o Parque Ecológico do Tietê, que fica localizado em Cangaíba, Zona Leste da Capital e tem cerca de 15,6 milhões de m² de área no total, sendo 14,5 milhões  no Núcleo Engenheiro Goulart171 mil m² do Núcleo Vila Jacuí e cerca de 1,5 milhão de m² do Núcleo Ilha do Tamboré (este último foi cedido para a Prefeitura de Barueri administrar em agosto de 2014). parque está subdividido nos três núcleos citados e inseridos no projeto Parque Várzeas do Tietê. Esse projeto foi concebido para devolver as várzeas naturais ao rio Tietê e, consequentemente, proteger a população dos efeitos das chuvas, uma vez que essas áreas retêm as águas fluviais quando ocorrem inundações. O Parque Ecológico do Tietê recebe mensalmente cerca de 300.000 visitantes, sendo o maior volume nos finais de semana ou feriados.
Horário de funcionamento:
8h às 17h
Recursos:
  Quadra poliesportiva   Campo de futebol   Playground   Trilha   Lanchonete   Estacionamento   Ciclovia   Programação cultural   Acessibilidade
Telefone:
(11) 2958-1477   
Localização:
Rua Gira Acangatara,70, Cangaíba
Ver no mapa

Avaliação do parque (0 a 5) é 3,8.

acesso ao parque fica na Av. Dr. Assis Ribeiro, altura do nº 3.000. De carro, entre no km 17 da Rodovia Ayrton Senna, sentido SP/RJ. De Metrô, desembarque na estação Penha, pegue o ônibus Jardim Keralux e desça na entrada do parque. Pelo trem da CPTM, desembarque na estação Engenheiro Goulart, caminhando até a entrada do parque.
Utilize as linhas de ônibus de números 2762-10 Metrô Tatuapé - Ermelino Matarazzo, 211A Estação Luz - Engenheiro Goulart, 2041-10 Terminal Penha - Vila Nova Sílvia, 1178-10 Praça do Correio - São Miguel e 1177-42 Terminal D. Pedro II - Engenheiro Goulart.
Para saber outras linhas de ônibus, fornecendo origem e destino, ligue para o telefone 156  da PMSP ou pelo site da Sptrans (clique aqui). 

Há estacionamento no parque, sendo 50 vagas em seu interior, próximo à administração do parque e 1000 vagas no estacionamento externo.

Infraestrutura
É uma das mais completas dos parques de São Paulo. Tem pista de bicicross, pista de atletismo, 9 km de trilhas, 14 km de ciclovia (bicicletas podem ser alugadas), 3 quadras de futsal, 2 quadras poliesportivas e 5 campos de futebol society, 16 campos de futebol (4 internos e 12 externos), 1 campo de beisebol, conjunto aquático composto por 3 piscinas (adulto, juvenil e infantil), playground, academia, palco ao ar livre, teatro de arena, anfiteatro, 9 quiosques com churrasqueiras e 12 churrasqueiras descobertas, lago com pedalinho, 12 sanitários (4 para pessoas portadoras de necessidades especiais), 7 vestiários e 1 ambulatório. Há também o Museu do Tietê, que teve seu acervo inaugurado no dia 22/09/1999, data em que se comemora o "Dia do Rio Tietê" e tem como principal objetivo contribuir para o ensino voltado para a cidadania, preservando e fornecendo para a população a possibilidade de pesquisa, estudo e apreensão da cultura. O parque abriga, também, um Centro de Recuperação de Animais Silvestres (CRAS).

Fauna
Os animais que vivem no parque são provenientes da mata do Rio Tietê. Há uma grande profusão de quatis, que cercam as trilhas e constantemente as invadem. Há anu-pretos, biguás, gavião carcarás, chupins, sabiá-pocas, irerês, abelhas, borboletas brancas, teiús e capivaras.
Destaque para a existência do CRAS, que foi criado em 1986, inicialmente para repovoar o Parque Ecológico do Tietê. O CRAS funciona como um refúgio pioneiro para recepção e tratamento de animais silvestres, provenientes de apreensões do tráfico ilegal realizados pela Polícia Militar Ambiental e pelo Ibama. Recebe atualmente uma média de 7.000 animais por ano, entre aves, répteis e mamíferos. A grande maioria são aves, cerca de 80% de várias espécies: araras, corujas, periquitos, bem-te-vis, beija-flores, gaviões, carcarás, falcões, tucanos, entre outras. Em seguida, vem os répteis - lagartos, cágados, iguanas e cobras. Em menor proporção, os mamíferos, com predomínio dos primatas. Depois disso os veterinários e técnicos do centro tratam e recuperam os animais para devolvê-los à natureza. Somente quando não há mais como readaptá-los ao habitat natural é que eles são enviados ao criadouro, para reprodução em cativeiro.

Flora
O parque produz e planta árvores para recuperar áreas degradadas, contribuindo na qualidade do ar e no bem-estar da população. Encontramos no local plantas aquáticas, aguapés, salvínias, jerivás, suinãs, embaúbas, pitangueiras, jaboticabeiras, goiabeiras, maracujás, cássia-aleluias e helicônias, entre outras.

Podem ser encontrados restaurante e lanchonetes no interior do parque, que funcionam todos os dias da semana.

Há passeios de "trenzinho", "pedalinhos" e triciclos com custos bem em conta, mas só funcionam nos finais de semana e feriados.

Inúmeras e boas atividades culturais e esportivas são programadas e realizadas no parque. Consulte o telefone da administração no box acima.

Há restrição para a entrada de animais domésticos no parque, especialmente porque podem ser atacados por algumas espécies da fauna presente como os quatis, que circulam livremente no local.

Tendo em vista o grande número de visitantes há dificuldades na manutenção e limpeza dos sanitários. Recomendamos que ao visitarem o parque levem "papel adequado" para ser utilizado em caso de necessidade.

No entanto, quanto à segurança geral do parque, observamos vários vigias no dia da visita. Há motoqueiros da segurança do parque que percorrem as trilhas com frequência.

Sinopse Histórica
O Parque Ecológico do Tietê foi concebido no contexto das obras e serviços de combate a inundações na Região Metropolitana da Grande São Paulo. Pretendeu-se manter a capacidade de amortecimento das cheias, nas várzeas do Tietê, entre Guarulhos e Ponte Nova e, como subproduto, aproveitar as áreas lindeiras para atividades de lazer, esporte, cultura e para a preservação da fauna e flora.
Devido as suas dimensões, seria impossível implantar o parque ecológico em um só período de governo. Sua realização parcial sucederia às obras de retificação em andamento. Planejou-se, então, o seguinte programa para o período governamental compreendido entre 1975-1979:
  • Decretar de interesse público toda a área da várzea do Tietê compreendido entre Santana do Parnaiba e Salesópolis;
  • Limitar um trecho, cuja implantação fosse possível até 1979;
  • Delimitar esse trecho em função dos estudos hidráulicos iniciais a serem desenvolvidos na área.
Com base nessa linha de conduta, o Decreto 7.868 de 30 de abril de 1976, declarou de utilidade pública a área total de interesse do Parque Ecológico do Tietê.No exercício de 1976, foi confiado ao arquiteto Ruy Othake, o projeto arquitetônico e paisagístico tendo como metas principais:
  • Formação de bosques – projeto paisagístico de extensos bosques circundando os equipamentos sociais do Parque, com utilização de plantas que suportassem encharcamentos periódicos;
  • Recuperação da fauna e flora – mudas vegetais visando recuperar e desenvolver a flora e fauna originais da região;
  • Formação de lagos – grandes lagos isolados para enriquecimento paisagístico e uso recreativo imediato e
  • Equipamentos sociais – construção de vários equipamentos sociais, para atividades de lazer, educativas e de pesquisas.
 O Parque Ecológico do Tietê foi inaugurado em 14 de março de 1982, sendo revitalizado em 2004. Atualmente, novas intervenções vêm sendo feitas no local, objetivando dar mais facilidades aos seus usuários.

Informações gerais do parque podem ser obtidas pelo telefone da administração (11) 2958-1477.

Vale a pena
  • Utilizar os quiosques existentes para fazer churrascos ou um simples piquenique;
  • Usar campos, piscinas e quadras para praticar seu esporte preferido;
  • Passear de "pedalinho" pelo lago existente e andar no "trenzinho" pelas pistas e trilhas do parque (só nos finais de semana e feriados);
  • Visitar o Museu do Tietê e
  • Caminhar pelas várias trilhas, observando uma abundante vegetação da Mata Atlântica ao redor, alguns exemplares da fauna e o canto de inúmeros pássaros existentes no local.
Veja vídeo feito no local, quando da visita (sugerimos "clicar" no ícone do "YouTube" para uma melhor visualização).

A seguir, veja fotos tiradas no local no dia da visita (Atenção! Ao "clicar" em qualquer foto, abre-se, automaticamente, o modo de exibição "Tela Cheia" de seu computador e por meio de suas teclas "Setas" (➡⬆⬅), podem ser visualizadas todas as fotos tiradas do parque).
Esquemático do parque

Estacionamento


Passagem de pedestres sobre a Rod. Ayrton Senna

Passagem de pedestres sobre a Rod. Ayrton Senna













"Trenzinho" que percorre o parque




Quati


Capivaras



Ciclovia




Ilha dos Macacos

Macaco

Trilha

Quati

Quati

Quatis invadem trilha para pedestres e ciclistas









Administração do parque

Administração do parque




Quiosques para refeições

Museu do Rio Tietê


Mesas para piqueniques e churrascos



Draga Holandesa que trabalhou no Rio Tietê

Draga Holandesa que trabalhou no Rio Tietê
Centro de Educação Ambiental




Quadras poliesportivas

Conjunto aquático





Ciclovia

Avifauna do local







Ilha dos Macacos




Quiosques para refeições




Soccer designed by Derek Britton from The Noun Project

7 comentários:

  1. Boa tarde! Gostamos muito do site de vocês, mas nos deparamos com o seguinte problema... ao chegarmos ao Parque Ecológico do Tietê fomos barrados por estarmos com a nossa Golden Retriever que sempre vai aos parques conosco.
    Escolhemos conhecer este parque hoje pois vimos que não há restrições para animais domésticos, quando na verdade há... conforme link e informação abaixo!
    Acredito que os demais parques estaduais não permitam também... por favor, corrijam a informação!

    http://www.ecotiete.org.br/parque/duvidas.htm

    Por que é proibido a entrada de animais domésticos no Parque Ecológico do Tietê?
    Porque ele é um Parque Estadual e a proibição consta no "Regulamento de Parques Estaduais Paulistas" - Lei 25.341 - Art. 16 de 04/06/1986.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Agradecendo desde já seus comentários, caro internauta, informamos que corrigimos a informação mencionada, assim como verificamos e ratificamos as informações de outros parques estaduais sobre o tema. Ocorre que, embora haja a lei citada, a maioria dos parques estaduais permite a entrada de cães desde que estejam em guias e/ou focinheiras como o Juventude, Belém, Villa-Lobos, Portinari, etc. A explicação que a administração do Tietê nos deu na consulta de hoje é que há muitos animais silvestres (quatis, etc.) no local, o que é verdade, transitando livremente por trilhas e pistas e que podem atacar com danos os animais domésticos levados pelos visitantes.
      Mais uma vez, obrigado por sua contribuição para o aprimoramento das informações do site, que está sempre aberto para críticas e/ou sugestões dos que o consultam.
      Abs,
      Equipe Áreas Verdes das Cidades

      Excluir
  2. Boa tarde, tenho uma tartaruga tigre d'água que recebi em doação e já troquei várias vezes o aquário onde ela vive, porém não quero continuar a mantê-la em um aquário e sim em um espaço aberto, de preferência com outras da mesma espécie. Fiquei sabendo que vocês recebem como doação estes animais, quero saber como faço para realizar esta doação?

    ResponderExcluir
  3. Boa noite! Estava vendo aqui e fala que tem área de estacionamento para 50 carros, fui em um dia de semana com os meus filhos,e não deixaram eu estacionar la dentro, tivemos que deixar o carro longe da entrada do parque! Gostaria de saber para que essas vagas então lá dentro?! Detalhe estava com meu sobrinho que é especial,e mesmo assim não deixaram!!! Mto descaso com os visitantes!

    ResponderExcluir
  4. eu achei muito útil me ajudou na lição (y)

    ResponderExcluir
  5. O Parque Ecológico do Tietê é lindo, porém no momento o Parque se encontra sem segurança/vigilância, pois segundo os trabalhadores do próprio parque, os profissionais da segurança do parque foram recolhidos pelo não pagamento do DAEE (Departamento de Águas e Energia Elétrica), órgão subordinado à Secretaria de Saneamento e Recursos Hídricos do Governo do Estado de São Paulo, a estes profissionais, e praticamente não se vê policiamento algum no Parque, lembrando que quando acontece de passar algum tipo de viatura, é provavelmente em horários isolados mesmo, pois eu mesmo não ví viatura no horário em que lá estive. Isto verdadeiramente é uma vergonha !

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site