quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Parque Leopoldina - Orlando Villas-Bôas em São Paulo

Visitamos num domingo o Parque Leopoldina (Orlando Villas-Bôas), que fica localizado na Vila Leopoldina, Zona Oeste da Capital. Na sua primeira fase, tem por volta de 55.000 m² de área, tendo sido inaugurado em 07/01/2010, resultado de uma parceria da Prefeitura e o Governo do Estado de São Paulo. A área total prevista do parque será em torno de 269.000 m². ATENÇÃO: Parque fechado à visitação pela Justiça de São Paulo desde 3 de março de 2015 por suspeita de contaminação em seu solo, sem previsão para reabertura.
Horário de funcionamento:
6h às 18:30h
Telefone:
(11) 3647-9939 
Localização:
Av. Embaixador Macedo Soares, 8000, Vila Leopoldina
Ver mapa


Avaliação do parque (0 a 5) é 2,5.

Para verificar as linhas de ônibus para o acesso ao parque (Av. Embaixador Macedo Soares, 8000, Vila Leopoldina), fornecendo origem e destino, ligue para o telefone 156  da PMSP ou pelo site da Sptrans (clique aqui). 
De trem (CPTM), desça na Estação Imperatriz Leopoldina (Linha 8 Diamante).
De carro, consulte o link "Ver mapa" no box ao lado e trace seu roteiro. Há estacionamento para veículos no interior do parque.

Infraestrutura
Campo de futebol tamanho oficial, campo de futebol society, quadra de futebol de areia, quadra poliesportiva, quadra de tênis de piso rápido, quadra de tênis de saibro, paredão de tênis, aparelhos de ginástica para a terceira idade, pista de cooper, pista de caminhada, ciclovia, playgrounds e sanitários, sendo que estes últimos merecem melhor atenção quanto a conservação.
Há um casarão onde funcionava o antigo restaurante, que é utilizado para Eventos de Educação Ambiental. Possui, também, um lago de contemplação.


Mapa do local

Fases futuras
Há uma promessa do governo do estado e prefeitura que em outras fases, será construída uma grande área para a prática de esportes radicais com equipamentos para escalada, skate, patins e mais 11 quadras poliesportivas.

Há previsão, também, da ampliação do paisagismo com o plantio de espécies amazônicas e a criação de um jardim sensitivo com plantas aromáticas e comestíveis.

O Leopoldina - Villas-Bôas irá receber um grande pergolado que atravessará toda a área, criando eixos de circulação que possam servir de orientação aos usuários. Essa estrutura, além de facilitar o deslocamento, também deverá permitir que plantas trepadeiras o utilizem como suporte para desenvolvimento.

Uma área especial será reservada para a criação de um espaço museológico, que abrigará o rico acervo de Orlando Villas-Bôas. A Cetesb e o Centro Paula Souza também vão instalar no parque programas descentralizados de ensino com a temática ambiental. Na inauguração do parque foi prometido pelas autoridades que no futuro, planejam também uma Escola Técnica para formação em recursos humanos na área ambiental no local.

Não há lanchonetes no parque, mas há ambulantes na entrada, pelo menos nos finais de semana. 

Não há restrições para animais domésticos, desde que os cães estejam em guias e focinheiras, estas para os mais bravos.

Há vários vigias no parque, conferindo-lhe segurança.

Um fato curioso é que o parque está sendo utilizado por times de futebol de campo, times de futebol americano, incluindo a categoria flags e times de rugby, que fazem a reserva do campo, da quadra de areia e do campo society. O time de futebol americano São Paulo Storm "manda" seus jogos no local.

Sinopse Histórica
O parque é inspirado na figura do indigenista Orlando Villas-Bôas. Foi implantado em duas áreas contíguas. A primeira, de 55 mil , da prefeitura, abrigava a antiga Usina de Compostagem Municipal, desativada por demandas da população moradora do entorno. A segunda, de 205 mil , da Sabesp, foi desapropriada para dar lugar ao projeto. Quase todos os edifícios existentes deverão ser demolidos, ampliando a área permeável da região. Serão preservados os prédios que abrigarão as áreas administrativas, as equipes de apoio como a Guarda Civil Metropolitana, os bombeiros e o ambulatório.

Informações gerais do parque podem ser obtidas pelo telefone da administração (11) 3647-9939
.

Vale a pena
  • Usar as quadras e campos disponíveis para praticar seu esporte preferido e 
  • Ver um jogo de futebol americano do São Paulo Storm, que disputa o campeonato brasileiro da categoria.

Veja vídeo feito no local, quando da visita (sugerimos "clicar" no ícone do "YouTube" para uma melhor visualização).

As fotos a seguir, foram tiradas no dia da visita.
Estacionamento de veículos
Entrada do parque, vista do estacionamento
Campo de futebol














Quadra poliesportiva




Quadras de tênis
Pista para caminhada/corrida


Sanitários "químicos"
Lago






Edificação para eventos




Visão panorâmica do lago
Ambiente para eventos
Foto de Orlando Villas-Bôas no ambiente para eventos






Iluminação do local










"Frutas no pé"
Playground






Campo de areia














Entrada do parque




Área ainda fechada ao público
Soccer designed by Derek Britton from The Noun Project

7 comentários:

  1. Oi, Guedes!

    Adoramos o seu blog. Já até divulguei para meus amigos no Facebook! Muito legal, mesmo! :)

    Estamos programando nossa visita ao Parque Vilas Boas, que é bem pertinho da nossa casa.

    Abraços,
    Joyce e Leo

    ResponderExcluir
  2. Oi Guedes
    O Parque Villas-Bôas tem tudo para ser o mais bonito da cidade de São Paulo.
    Parabéns pelo blog e fotos miuto bonitas.
    Abs
    Nelson

    ResponderExcluir
  3. Prezados Guedes:

    Sou morador da Região da Vila Leopoldina, Município de São Paulo, e tenho acompanhado a "luta" pela implantação do Parque Orlando Villas Boas, situado na Avenida Embaixador Macedo Soares, 8.000, Vila Leopoldina, São Paulo, Capital (área contígua à Marginal Tietê). Trata-se de local, hoje, com cerca de 55.000 m2, rico em vegetação, sendo uma das principais áreas verdes dos bairros adjacentes. O Parque, criado em janeiro de 2010, foi resultado de parceria entre o Estado e Município e previa duas fases: a primeira, já implantada, com aproximadamente 55.000 m2; e a segunda, ainda não efetivada, com cerca de 270.000 m2. Obviamente, para que o projeto se ultimasse, a SABESP ("dona" da área) deveria deixar, em definitivo, o espaço. Assim, como residente na localidade e cidadão preocupado com a melhoria da qualidade de vida, sinto-me na obrigação de denunciar fato que considero MUITÍSSIMO GRAVE: até o presente momento, a 2ª fase do projeto não foi implantada e a SABESP continua a ocupar parte significativa da área (mais da metade do espaço destinado à concepção final do Parque). Aliás, verifiquei, também, que a empresa insiste em efetuar obras e reformas no local de modo a perenizar suas instalações. A circunstância se agrava pelo discurso de alguns dos funcionários da SABESP que informam de que a Companhia não só permanecerá no local, como também irá instalar mais unidades. Aqui valem as perguntas: será que é mais importante o uso administrativo (por parte de uma empresa privada, com ações na Bolsa de Valores) de uma belíssima área verde, do que a utilização do parque pela população? Será que uma das maiores empresas do país não tem área ou condições para realocar suas instalações? Pode a SABESP desafiar o Poder Público Municipal que, inclusive, expediu decreto de utilidade pública, visando a futura desapropriação?

    Nesse sentido, acredito ser importante a divulgação para que não se perca o nosso Parque.

    Um abraço.

    Roberto S. Souza

    ResponderExcluir
  4. Endosso totalmente suas palavras, Roberto. É lamentável!

    ResponderExcluir
  5. olá, gostaria de obter informações, se há quiosque para churrasco, pois gostaria de fazer a festinha de seis anos do meu filho.
    cássia
    cassinhagalini@hotmail.com

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site