quarta-feira, 16 de junho de 2004

17 de Junho - Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca

Foto do site www.inacio.com.br
No dia 17 de junho comemoramos o Dia Mundial de Combate à Desertificação e à Seca, data escolhida pela Assembléia-Geral da ONU em 1994. Foi nessa data também, que a Convenção sobre a Luta contra a Desertificação foi aprovada. Por esses e por outros motivos, essa é a data oportuna para promovermos a sensibilização da opinião publica sobre a necessidade de fomentar a cooperação internacional no combate à desertificação e aos efeitos da seca.

Desertificação é a perda da capacidade de renovação biológica das zonas áridas, semiáridas e subúmidas. Este é um dos processos que mais seriamente ameaçam a humanidade, caracterizando um problema mundial que atinge, pelo menos, um quinto da população do planeta ao longo de mais de cem países, causando imensas repercussões.

De acordo com as tendências atuais, e se não tomarmos nenhuma atitude a respeito, em 2020, cerca de 60 milhões de pessoas terão partido das zonas da África subsaariana para o norte da África e para a Europa. Em termos mundiais, 135 milhões de indivíduos correm o risco de ter de se deslocar de sua zona de origem para outra em melhores condições.

A proteção e a regeneração das zonas áridas permitem diversos avanços: a segurança alimentar é reforçada; possibilita uma luta efetiva contra as alterações climáticas; além de ajudar as pessoas que vivem nessas zonas a tomar o seu futuro nas mãos. Com isso, aceleramos os progressos no sentido de cumprir os objetivos de desenvolvimento mundial. Neste Dia, reafirmemos a nossa determinação de combater a desertificação e a degradação dos solos e de atenuar os efeitos da seca e reconheçamos que cuidar dos nossos solos significa cuidar de toda a vida na Terra.

(Fonte: Web Site PortoWeb)

O que você pode fazer
  • Apóie e participe de iniciativas e ações contra a destruição da caatinga e ajude a recuperar áreas de mata ciliar (beira de rios e nascentes) com espécies nativas;
  • Informe-se sobre a origem do carvão e da lenha consumida em padarias, pizzarias e churrascarias. O carvão e a lenha legalizados são produzidos de forma sustentável, através de manejo florestal. Priorize os locais que utilizem carvão e lenha legalizados. Toda retirada de madeira deve ser comunicada aos órgãos ambientais, denuncie a atividade ilegal;
  • Compre móveis feitos com madeira certificada pelo FSC (certificação florestal). Esse selo é a garantia que a madeira é oriunda de um processo produtivo ecologicamente adequado e socialmente justo, seguindo todas as leis vigentes;
  • Informe-se sobre habitações ambientalmente corretas, que aproveitam água da chuva, reutilizam água cinza, usam energia solar ou eólica e técnicas de iluminação e ventilação natural, essas informações podem ajudá-lo a adaptar a sua casa;
  • Utilize mais o transporte coletivo e a bicicleta, que poluem menos e contribuem menos para o aquecimento global. Se for usar o carro, utilize combustíveis de transição, como o álcool e o biodiesel e faça manutenção periódica;
  • Pressione os governos a investirem mais na produção de energias renováveis e eleja os que possuem discurso e prática ambientais;
  • Consuma de forma consciente: planeje suas compras, compre menos e melhor. Use só o necessário, reflita sobre suas reais necessidades. Reutilize produtos, separe materiais recicláveis e certifique-se de que o seu lixo está tendo uma destinação correta;
  • Opte por produtos ecológicos e que tenham embalagens retornáveis ou recicláveis, isso reduz o consumo da matéria-prima e o impacto do processo de fabricação.
  • Rejeite produtos com embalagens excessivas e sacolas plásticas, leve bolsas e sacolas próprias para as compras.
O que as empresas podem fazer
  •  Seguir rigorosamente as instruções normativas quanto à redução de emissão de poluentes;
  • Manter áreas vegetadas de sua propriedade, criar Reservas Particulares do Patrimônio Natural e incentivar a proteção das florestas;
  • Seguir os princípios da Responsabilidade Social Empresarial;
  • Apoiar o desenvolvimento de pesquisas que busquem soluções sustentáveis;
  • Utilizar energias limpas e deixar de queimar madeira e lenha;
  • Neutralizar suas emissões de gás carbônico;
  • Optar por arquitetura sustentável que utilize de forma eficiente iluminação e ventilação natural, reaproveitamento de água, etc.;
  • Substituir a energia poluente (petróleo, nucleares e grandes hidrelétricas) por energia sustentável (solar, eólica, pequenas hidrelétricas, biogás) e pressionar os governos a investirem mais nessas energias. 
(Fonte: Web site http://www.acaatinga.org.br/)




Fotos: Wikipédia


(Fonte: UNCCD - Crianças de Lesoto plantam árvores sob o tema de combate à desertificação)

1 comentários:

  1. ( =’o’= ) Boa tarde! Eu sou de Brasília e acompanho a pouco tempo o seu trabalho, mas já admiro muito, parabéns pelo sucesso!
    gostaria de saber se esse site https://go.hotmart.com/R4229159R tem alguma contra indicação?

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site