sexta-feira, 20 de outubro de 2017

Conheça as 4 trilhas do Parque Estadual da Cantareira

Parque Estadual da Cantareira em São Paulo


Atenção! O Parque Estadual da Cantareira e o Horto Florestal (que fica ao lado) estão fechados a partir deste sábado (20/10/2017) para ação de prevenção da febre amarela, segundo informação das secretarias da Saúde e do Meio Ambiente. Não há informações da data em que os parques serão reabertos.


Confira outros parques para você passear na zona norte de São Paulo

Conheça os 10 melhores parques de São Paulo

O Parque Estadual da Cantareira, na zona norte de São Paulo, é uma das maiores florestas urbanas nativas do mundo. No Núcleo Pedra Grande (há também os núcleos Águas Claras, Engordador e Cabuçu) há quatro trilhas com níveis diferentes de dificuldade para você aproveitar um dos últimos locais preservados da Mata Atlântica na cidade.


A Trilha do Bugio tem nível fácil – para qualquer condicionamento físico, inclusive para crianças e idosos. A Trilha das Figueiras e a Trilha da Bica têm nível médio e a Trilha da Pedra Grande requer um bom condicionamento físico, pois leva em média 3 horas, contando ida e volta.

Programe-se antes de sair de casa


O parque só está aberto nos finais de semana e feriados, das 8h às 17h – e para a trilha à Pedra Grande até às 15h.

Devido às condições climáticas, confirme os horários permitidos para acesso às trilhas no telefone da Administração: 11 - 2203-0115 ou por email: pe.cantereira@fflorestal.sp.gov.br

A administração disponibiliza programas ao público, como o atendimento monitorado a grupos e escolares, que nesses casos não obedecem ao horário normal do parque. Mais informações no telefone da administração.

Os ingressos custam R$ 14,00 (crianças menores de 12 anos, adultos com mais de 60 anos e pessoas com deficiência não pagam). Estudantes pagam meia-entrada. (Preços de setembro de 2017)

Trilhas do Parque Estadual da Cantareira


Nível Fácil 

  • Trilha do Bugio

Caminhar por esta trilha de 370 m é ideal para crianças pequenas, idosos e deficientes físicos, enquanto se aproveita a mata nativa e os macacos Bugios brincando nas árvores.

Nível Médio

  • Trilha das Figueiras

A Trilha das Figueiras possui 920 m de percurso variando de suave à íngreme, onde o visitante pode observar as árvores altas que deram o nome à trilha. Poderá ver também curiosos matacões (granitos) que sofrem o fenômeno denominado de esfoliação esferoidal, onde as rochas apresentam fendas.

  • Trilha da Bica 

A Trilha da Bica possui 1.381 m de percurso suave, circundando uma microbacia hidrográfica em que o visitante pode refrescar-se com a água da bica e observar, além de muitos pássaros, um bando de quatis que freqüenta a área.

    Nível Difícil

    • Trilha da Pedra Grande

    O ideal é percorrer esta trilha ao longo de seus 9.500 m de extensão (ida e volta) até a grande formação de granito (1.010 m de altitude) onde se descortina uma bela vista panorâmica da cidade, vista do Norte para o Sul. Em dias claros pode-se ver trechos da Serra do Mar além da cidade. A trilha leva ao Museu da Pedra Grande e ao Lago das Carpas, uma área agradável para prática de exercícios físicos e apreciação dos peixes existentes no lago.

    Há um caminho alternativo menos extenso para se chegar ao mirante da Pedra Grande. Utilize a entrada do parque pelo Núcleo Águas Claras (Av. Senador José Ermírio de Moraes s/n⁰ em Mairiporã) e percorra a Trilha da Suçuarana em seus 1.130 m de extensão, que em seu final tem uma seta indicativa para o Núcleo Pedra Grande. O mirante fica próximo.

    Confira a matéria completa sobre o Parque Estadual da Cantareira – Núcleo Pedra Grande feita pelo site Áreas Verdes das Cidades – com vídeo e fotos!
    Veja quais são os 10 melhores parques de SP 


    Não há lanchonetes no parque. Caso queira, traga de casa alimentos e bebidas ou compre-os em estabelecimentos comerciais que ficam na Rua do Horto, próximo à entrada do Parque Estadual Alfredo Löfgren (ex-Horto Florestal).

    Há restrições para animais domésticos; qualquer atividade com fogo; prática de esportes com bola, patins e skate; bicicletas; entrada de aparelhos/instrumentos sonoros; soltar pipas e nadar nas represas e lagos.

    Durante a visita percebemos a existência de vigias no parque, inclusive de motos, conferindo-lhe segurança.

    Como ir ao Parque Estadual da Cantareira

    Há várias linhas de ônibus que dão acesso ao parque entre as quais a 2740-41 Metrô Parada Inglesa x Horto Florestal.
    Similares: 2740-10-0 - Metrô Santana, 1783-41-0 - Metrô Parada Inglesa; 1764-41-0 - Metrô Parada Inglesa,1783-21-0 - Metrô Tucuruvi e 1722-10-0 - Tucuruvi.

    Para saber outros números de linhas, fornecendo origem e destino, ligue para o telefone 156 da PMSP ou pelo site da Sptrans (clique aqui).
    Caso vá de carro acesse o link "Ver no mapa" no "box" ao lado e trace seu roteiro.

    Não há estacionamentos para veículos no interior do parque, mas na Rua do Horto, próxima à sua entrada, há algumas vagas.

    História do Parque Estadual da Cantareira

    Cantareira foi o nome dado à Serra pelos tropeiros, que faziam o comércio entre São Paulo e as outras regiões do país, nos Séculos XVI e XVII. Era costume, na época, armazenar água em jarros de barro, chamados cântaros, e as prateleiras onde eram guardados chamavam-se Cantareira.

    O Núcleo Pedra Grande foi o primeiro núcleo aberto ao público em 1989, oferecendo a oportunidade ao visitante de um contato direto com a Mata Atlântica, mesmo estando apenas a 10 km da Praça da Sé em linha reta.



    Letícia Jardim Guedes - Redação Áreas Verdes das Cidades

    0 comentários:

    Postar um comentário

    Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site