quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Parque Professora Lydia Natalízio Diogo em São Paulo

Parque Professora Lydia Natalízio Diogo
Num sábado, visitamos o Parque Professora Lydia Natalízio Diogo, que se situa na Vila Prudente, na Zona Leste de São Paulo capital. Ocupa uma área de 60.000 m², tendo nascido como Parque Ecológico de Vila Prudente em 05/07/1996. Seu atual nome foi atribuído em 27/12/2004, por meio de um decreto municipal, em homenagem a uma professora que deu aulas por muitos anos em escola da região.
Horário de funcionamento:
6h às 22h
Telefone:
(11) 2910-8774
Localização:
Rua João Pedro Lecor, S/n°
Ver no mapa

Avaliação do parque (0 a 5) é 2,9.

Como ir ao Parque Professora Lydia Natalízio Diogo

  1. Ônibus - linhas 3021-10 Pq. Bancário x Terminal Vila Prudente, 3024-10 Vila Industrial x Terminal Vila Prudente, 3391-10 Term. São Mateus x Term. Parque D. Pedro II, 364A-10 Hospital Ipiranga x Shop. C. L. Aricanduva, 4025-10 Vila Califórnia x Metrô Tatuapé, 524L-10 Pq. São Lucas x Tatuapé e 575C-10 Vila Matias x Metrô Conceição, entre outras.
  2. Carro - clique em mapa para traçar seu roteiro. 

Estacionamento


Há um pequeno 
estacionamento gratuito para veículos na Rua Jacinto Desidério Coni. Em vários trechos das ruas que circundam o parque, também é permitido estacionar (observar sinalização no local).

Infraestrutura do Parque Professora Lydia Natalízio Diogo

Playground, Pista de Cooper e caminhada, Sanitários (limpos e cuidados no dia da visita), Jardim Japonês, Pergolados, Mesas para Jogos (Damas e/ou Xadrez), Centro de Educação Ambiental e Bebedouros.

Não há lanchonetes no parque. Água, refrigerantes, sanduíches e "petiscos" podem ser comprados de ambulantes que ficam nas principais entradas do local. 

Fauna
Observadas 23 espécies de aves, sendo a maioria composta por especies que vivem em área aberta. Dentre elas o anu-branco, o pica-pau-do-campo, o joão-de-barro, o sanhaço cinzento, o gavião-carijó e o beija-flor-tesoura. O arredio-pálido é espécie endêmica de Mata Atlântica e vive em casal em meio à ramaria das copas das árvores, sendo facilmente detectada pelo seu canto composto por um longo trinado. Um bando de maracanã-nobre sempre visita o parque à procura de nêsperas. Este psitacídeo encontra-se ameaçado de extinção no Estado de São Paulo.

Flora
Eucaliptal, gramados e jardins com arborização de espécies nativas e exóticas como aroeira-mansa, pinheiro-do-paraná, jacarandá- mimoso, pata-de-vaca, pau-ferro, sibipiruna, araribá, suinã, ingá, leucena, guapuruvu, manduirana, mirindiba-rosa, paineira, manacá- da-serra, quaresmeira, jaqueira, alfeneiro, grevilha-gigante, nespereira e mamica-de-porca.

Você pode levar seu cachorro, desde que estejam em guias ou focinheiras, estas, para os maiores ou bravos. 

Atenção: Bicicletas e skates são proibidos de andarem pelo parque.

Veja os parques na zona leste para você andar de bicicleta
Índice de parques da zona leste de São Paulo

Há vários vigias no parque, conferindo-lhe segurança. Não temos como avaliar à noite (o parque fica aberto até às 22h), pois a visita foi feita no período da tarde.

História do Parque Professora Lydia Natalízio Diogo

Conforme folheto da PMSP, "o Parque Ecológico da Vila Prudente foi criado em 5 de julho de 1996 e recebeu a denominação Profa Lydia Natalízio Diogo por decreto em 27 de dezembro de 2004.

A industrialização consolidou-se na região da Vila Prudente até aproximadamente 1940 e não transformou apenas fisicamente as várzeas. Transformou, também, a vida das pessoas. As várzeas tornaram-se o espaço da produção e do lúdico, da mistura do urbano e do rural para as famílias residentes nas vilas operárias da Vila Prudente. 

A área em que o Parque encontra-se instalado era ocupada por terrenos mais elevados da várzea do córrego da Mooca, afluente do rio Tamanduateí. Um morro utilizado pelos moradores locais para lazer, que perdeu essa característica lúdica com o processo de desindustrialização que descaracterizou a região. A criação e instalação do Parque, na passagem do século XX para o século XXI, retomam esse uso e a memória desse espaço".


Informações gerais do parque, inclusive sobre a programação esportiva e cultural, podem ser obtidas pelos telefones da administração 2910-8774.

Vale a pena no Parque Professora Lydia Natalízio Diogo

  • Caminhar ou correr pela pistas existentes;
  • Percorrer o Jardim Japonês, observando especialmente os cardumes de peixes existentes em seu lago e
  • Agendar visita monitorada, que visa à promoção da educação ambiental por meio da abordagem dos elementos biológicos, geográficos, históricos, sociais e culturais que compõem a paisagem do Parque.
Vejam vídeo do Parque Professora Lydia Natalízio Diogo feito na visita (sugiro "clicar" no ícone do "YouTube" para uma melhor visualização):

Fotos do Parque Professora Lydia Natalízio Diogo

Tiradas na nossa visita:





Pista para caminhar/correr com o prédio da administração à direita ao fundo

Jardim Japonês

Jardim Japonês



Jardim Japonês



Jardim Japonês
Jardim Japonês




Peixes no Jardim Japonês



Pista para caminhar/correr e casa da administração ao fundo

Bicicletário

Casa da administração do parque

Pista e playground

Playground


Pista sendo reformada




Mesa para jogos








Pergolaro



Playground


Aparelhos para ginástica




Bebedouro

Praça em frente a entrada pela Rua Jacinto Desidério Coni




Estacionamento na Rua Jacinto Desidério Coni



Pergolaro




Rua João Pedro Lecor, onde existe uma unidade do SENAI, que tem uma das entradas para o parque



Pomba alçando voo do Jardim Japonês


Ponte do Jardim Japonês visto do lado de fora do parque

Localização do parque

6 comentários:

  1. Cada parque tem uma história, depende de quem vai contá-la... Este parque, por exemplo, tem uma história bem diferente da que consta em folhetos. Vale a pena conhecer esta história, principalmente por quem fez/faz parte dela!

    ResponderExcluir
  2. Senhores administradores, por favor resolvam a questão da limpeza dos banheiros do parque.Lamentável estar lá ontem e perceber o abandono da limpeza dos banheiros do local. Precisamos de gestão pública responsável.

    ResponderExcluir
  3. Prezados Responsáveis pelo Parque hj estive no mesmo e achei um absurdo o quanto está abandonado este local um lugar de lazer onde quase não tem uma grama baixa para se sentar está um matagal tudo abandonado mesmo soube que estão com problemas e muitos Funcionários foram demitidos um absurdo espero que resolvam logo

    ResponderExcluir
  4. Gostaria de saber se vcs aceitam doação de um pinheiro adulto?

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Prezados...por favor antes q faça uma reclamacao junto a prefeitura, apesar das placas proibindo alguns professores particulares com grupos se acham no direito de tomar espaço público do parque para atividades sendo que obstruem a passagem dos demais frequentadores com colchões cones etc...isso quando nao tomam conta das áreas gramadas prejudicando essas áreas...por favor tomem providências se a regra existe tem que ser aplicada para todos ou o parque também é conivente com isso...os seguranças tem q fazer valer a lei.

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site