segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Conheça as Panc (Plantas Alimentícias Não-Convencionais): Plantas que você pode comer e nunca soube

Capuchinha
É cada vez maior o interesse pelas panc, as plantas alimentícias não-convencionais: tanto para os estudiosos quanto para alta gastronomia. As plantas antes consideradas mato ou ervas daninhas estão ganhando destaque por seu sabor incomum, sua facilidade de plantio e crescimento e pelos benefícios à saúde.

Exemplos de Panc

Das mais conhecidas, como a ora-pro-nobis, que é bastante usada em Minas Gerais, e a azedinha até a beldroega (beldroegão) e a flor-de-ipê, calcula-se que há mais de 10 mil espécies nativas no Brasil que não são usadas para alimentação e que poderiam ser consumidas. Cerca de 90% de toda a alimentação mundial vem de apenas 20 espécies, nem 1% da quantidade total de panc no mundo.

Entretanto, é preciso ter cuidado e saber identificar se a planta é comestível para evitar intoxicações; por isso é importante se informar antes de consumir este tipo de alimento. Há algumas, como a taioba, com espécies que não são próprias para o consumo - veja na lista abaixo como diferenciá-las.

Selecionamos algumas pancs para você saber a forma de consumo e seus benefícios para a saúde (dados da Embrapa):

Lista de Pancs

  1. Ora-pro-nobilis – As folhas podem ser consumidas cruas, refogadas com carnes ou usadas em massas de pães e biscoitos. É rica em proteínas, minerais (especialmente cálcio e ferro) e fibras
  2. Capuchinha – Usada a flor, as folhas e as sementes. Tem saber levemente picante que lembra o agrião. É rica em carotenoides, prevenção de doenças como catarata e glaucoma
  3. Beldroega – Suas folhas podem ser consumidas cruas ou em sopas, tortas salgadas ou bolinhos. As sementes podem ser utilizadas em pães, como a chia e o gergelim. Tem muita vitamina C e altos teores de magnésio e zinco
  4. Serralha – Tem gosto amargo e pode ser consumida fresca em saladas, ou refogada. Tem muita proteína, fibras, carotenoides (pró-vitamina A) e minerais, principalmente zinco, ferro, magnésio, fósforo e potássio
  5. Caruru - as folhas jovens podem ser refogadas e usadas em bolinhos fritos ou pães. É rico em proteína, ferro e cálcio
  6. Azedinha – consumida crua, em saladas ou em sucos. Tem potencial antioxidante e rica em minerais como potássio, magnésio e ferro
  7. Taioba – É preciso saber muito bem se não é uma “falsa-taioba” que é tóxica – saiba como identificar. As folhas são consumidas como a couve (refogada ou cozida) e a raiz pode ser frita, cozida ou processada como farinha. É rica em proteína e minerais.
  8. Major-gomes ou língua-de-vaca – Ficam ótimas cruas em saladas, refogadas ou ensopadas – o uso é parecido com o do espinafre. As sementes podem ser usadas em pães, como o gergelim. Tem alto teor de proteína, potássio e zinco
  9. Flor-de-ipê - suas flores podem ser consumidas cruas ou cozidas, como saladas, refogadas e empanadas

Para saber mais sobre as panc, o Instituto Kairós disponibiliza um guia prático de panc para fazer download gratuitamente.


No site da Embrapa, você pode baixar material (folders) que contém características, plantio, modo de conservação e usos, além de receitas com panc

O livro “Plantas Alimentícias Não-Convencionais (Panc) no Brasil”, de Waldely Ferreira Kinupp, doutor em fitotecnia e horticultura, e Henri Lorenzi, também é um ótimo guia para o assunto.


Por Letícia J. Guedes da redação do Áreas Verdes das Cidades

Com informações da Embrapa, Instituto Kairós e do blog Mato de comer
Foto: Pixabay.com

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site