domingo, 16 de julho de 2017

Jardim Botânico da Universidade de Coimbra - Portugal

Jardim Botânico da Universidade de Coimbra (JBUC)visitado num sábado, fica no bairro de Almedina na cidade de Coimbra em Portugal. Localizado no coração da cidade desde 1772, por iniciativa do Marquês de Pombal, estende-se por mais de 135.000 m² em terrenos que na sua maior parte foram doados pelos frades Beneditinos.
Horário de funcionamento:
De Segunda-feira a Domingo das 9h às 17h30, prorrogado até 20 h no horário de verão.
Telefone:
(00 XX 351 239 855 215)
Localização:
Calçada Martim de Freitas, s/nº, 3000-456, Coimbra, Portugal
Ver no mapa

Para chegar de ônibus ao Jardim Botânico da Universidade de Coimbra, consulte o site do Serviços Municipalizados de Transportes Urbanos de Coimbra - SMTUC, neste link, colocando origem e destino nos campos apropriados.
De carro clique em "Ver no mapa", traçando seu roteiro.  

Não há estacionamento para veículos no local, mas em algumas ruas próximas é possível estacionar, sempre atentando para a sinalização existente.

Infraestrutura
A Mata do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra tem mais de 90.000  e é composta principalmente por árvores centenárias, vegetação em crescimento livre e o bambuzal, sendo possível ainda encontrar patrimônio edificado, do qual se destacam a Estufa-fria, a Capela de São Bento e a Fonte dos Três Bicos. É também possível ver o antigo Reservatório de águas da cidade e vestígios da Muralha de Coimbra.
O chamado Quadrado Central/Fontanário tem magnólias variadas, cerejeiras de jardim, azáleas, entre outras, que ladeiam um grandioso Fontanário Central, transmitindo a esta área uma bela atmosfera. 
O herbário, o maior de Portugal, compreende cerca de 800.000 espécies originárias de todo o mundo. Aqui também se encontra o "Herbário de Willkomm", onde se podem estudar outros materiais de interesse botânico, normalmente os procedentes de explorações universitárias na África Tropical. Todo este material, juntamente com as sementes de mais de 2.000 espécies (Index Seminum), é objeto de permuta com outras Instituições congêneres nacionais e estrangeiras.
O Museu Botânico recriado em 1991 contém uma magnífica galeria que representa um espaço privilegiado para a realização de exposições científico-culturais. Nele há uma exposição permanente, modelos didáticos, coleções carpológicas e de fósseis vegetais, madeiras exóticas, objetos de artesanato, material diverso procedente das missões botânicas na África Tropical, e também, muita documentação de caráter histórico-natural. 
O jardim possui uma biblioteca com mais de 125.000 volumes. 
O Departamento de Ciências da Vida colabora com a "Sociedade Broteriana" na edição de revistas científicas que facultam uma permuta de publicações com cerca de 700 bibliotecas similares.
Os laboratórios, proporcionam condições razoáveis para actividades de ensino e de investigação científica nos vários domínios da Botânica como, Ecologia, Fisiologia, Citogenética, Taxonomia, Bioquímica e Biotecnologia Vegetal, Fisiologia e Microscopia Electrónica.

Flora e Fauna
Entre as colecções das suas plantas destacam-se plantas tropicais, coleção de narcisos, ornithogalum, plantas suculentas, coleção de coníferas, plantas ornamentais, entre outras. Há inúmeros pássaros, de variadas espécies, que cantam e encantam os visitantes do local.

Atenção! Há restrições para animais domésticos, bicicletas, patins e assemelhados  no interior do local. Não há lanchonetes e nem sanitários na área dos jardins do JBUC, que está em obras de reformulação.

No domínio educativo, o Jardim Botânico da Universidade de Coimbra promove programas de educação ambiental e cultural, sensibilizando os cidadãos para questões ligadas às temáticas ambientais e à adoção de comportamentos cívicos. O Jardim é também um espaço de tranquilidade, repleto de recantos que nos convidam simplesmente a um passeio.

O Jardim Botânico da Universidade de Coimbra (JBUC) é uma Unidade de Extensão Cultural e de Apoio à Formação desta instituição de ensino superior e tem como missões a investigação, a conservação da biodiversidade, a educação e divulgação de ciência, com especial enfoque na sensibilização para o conhecimento e importância da diversidade vegetal, das alterações climáticas e da utilização sustentável de recursos. Desde 2013, o JBUC é Patrimônio da Humanidade da UNESCO, inserido no sítio "Universidade de Coimbra, Alta e Sofia". 

Visitas informais não necessitam de marcação ou pagamento mas as visitas guiadas para grupos devem ser marcadas com antecedência com o Gabinete de Turismo da Universidade de Coimbra. Façam o pedido pelo email para reservas@uc.pt ou pelos telefones ++ 351 239 242 744 / 239 242 747 para saberem das restantes condições e agendar as visitas.

Sinopse histórica 
Houve uma primeira tentativa em 1731, de estabelecer um jardim botânico em Coimbra, com um projeto elaborado por Jacob de Castro Sarmento, tendo como referência o Chelsea Physic Garden, de Londres.
No entanto, apenas em 1772, fundado como parte integrante do "Museu de História Natural" instituído pelo Marquês de Pombal, surge o "Jardim Botânico da Universidade de Coimbra", como consequência da reforma pombalina dos estudos universitários. O projeto de Castro Sarmento foi considerado pelos professores muito modesto pelo que decidiram ampliá-lo para cumprir os requisitos do Marquês de Pombal. Os trabalhos iniciaram-se em 1774.
Ao princípio, as responsabilidades recaíram sobre Domingos Vandelli, e a partir de 1791, a Avelar Brotero, professor de Botânica e Agricultura. Este ilustre botânico ampliou o jardim, com a aquisição de um terreno da quinta dos Padres Marianos.
Em 1873 é nomeado gerente Júlio Henriques. Intensifica a troca de plantas com os principais jardins de Portugal Continental, Açores, Europa e outras partes do mundo, sobretudo da Austrália. Refere-se que Júlio Henriques conseguiu do Jardim Botânico de Buitenzorg, em Java, sementes da espécie Cinchona, de cuja cortiça se extrai a quinina, para combater a malária que nessa época, em Portugal e nos territórios ultramarinos, dizimava a população. Foi sua a iniciativa de fundar a "Sociedade Broteriana", destinada a reunir os botânicos, e outros especialistas interessados também em botânica. Em 1880 iniciou-se a publicação do "Boletim da Sociedade Broteriana", revista de carácter científico que atualmente continua a ser publicada. Foi Júlio Henriques o primeiro que se referiu em Portugal aos trabalhos de Charles Darwin, sendo o primeiro darwinista a manifestar as suas opiniões entre os biólogos portugueses.
O botânico Luís Wittnich Carrisso, desde o ano em que passou a professor catedrático, de 1918 até à data da sua morte em 1937, ao assumir a direção deste jardim, enriqueceu-o muito com novas plantas, nomeadamente com plantas exóticas africanas, a maioria originárias de Angola.


Vale a pena
  • Caminhar pelas belas alamedas existentes no local, observando a vegetação do local;
  • Visitar o Fontanário, admirando a vegetação em seu entorno;
  • Frequentar inúmeros cursos de formação/exposições envolvendo meio ambiente, especialmente botânica e
  • Participar de visitas monitoradas ao local e de atividades de educação ambiental.
_____________________________________________________________________________________
OBS.: Informações e programações sujeitas a mudanças e alterações.
Fontes textos: Website do Jardim Botânico da Universidade de Coimbra  (http://www.uc.pt/jardimbotanico/jbuc) e Wikipédia (https://pt.wikipedia.org/)
________________________________________________________________________________________________________________


Veja vídeo feito no local:

A seguir, veja fotos tiradas no parque no dia da visita (Atenção! Ao "clicar" em qualquer foto, abre-se, automaticamente, o modo de exibição "Tela Cheia" de seu computador e por meio de suas teclas "Setas" (➡⬆⬅), podem ser visualizadas todas as fotos tiradas do parque).

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site