terça-feira, 25 de julho de 2017

Férias de julho: Aproveite o Festival de Inverno de Paranapiacaba e conheça as trilhas em parque da Serra do Mar

Paranapiacaba

Neste próximo fim de semana (29 e 30 de julho) acontece o 17° Festival de Inverno de Paranapiacaba, na histórica vila inglesa da região metropolitana de São Paulo que também conserva um importante remanescente de Mata Atlântica. A vila é um dos principais pontos turísticos de inverno do estado e este evento marca o fim das férias de julho.

O evento cultural e gastronômico tem uma programação variada: shows de música brasileira, música clássica, rock, hip hop e punk em diversos horários, apresentações de dança, circo e oficinas para as crianças. Os restaurantes estão abertos com cardápio especial de inverno. Veja a programação do Festival de Inverno de Paranapiacaba 

Outro programa imperdível é visitar o Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba que preserva parte da Serra do Mar e as nascentes formadoras do Rio Grande. O parque faz parte Reserva da Biosfera do Cinturão Verde de São Paulo, área tombada pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), que também inclui a Reserva Biológica do Alto da Serra de Paranapiacaba e o Parque Estadual da Serra do Mar.

As visitas só podem ser realizadas com o acompanhamento de monitores cadastrados! É simples, basta agendar uma excursão em um dos telefones indicados pelo site oficial do Festival de Inverno neste link.

O Parque 
Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba é aberto de terça a domingo, das 9h às 16h.

Trilhas no Parque de Paranapiacaba
O parque tem cinco trilhas abertas para a visitação, distribuídas em dois núcleos: o Olho D’água e o Tanque do Gustavo.


Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba - Olho d´Água

No núcleo Olho d’Água, encontra-se o sistema de abastecimento de água que foi construído na formação da vila de Paranapiacaba, a partir de 1867: a água é coletada diretamente nas nascentes. O local também duas trilhas para caminhadas: a Trilha das Hortênsias e Trilha dos Gravatás.

1. Trilha das Hortênsias
Possui 325m de extensão e pode ser percorrida em aproximadamente 30 minutos. É considerada de grau médio de dificuldade devido sua declividade (de 15º a 20º);

2. Trilha dos Gravatás
Possui 389m de extensão e pode ser percorrido em aproximadamente 30 minutos. É considerada de grau fácil de dificuldade com declividades de até 15º. 

Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba - Tanque do Gustavo

No outro núcleo dentro do o Parque Natural Municipal Nascentes de Paranapiacaba, o Tanque do Gustavo, é possível conhecer o sistema de abastecimento de água das máquinas usadas na estrada de ferro São Paulo Railway Co, que foi o principal motivo à construção da vila. Com as características extremamente íngremes do trecho da serra, optou-se pela adoção do chamado sistema funicular: o percurso foi dividido em quatro planos inclinados, cada um com uma máquina fixa a vapor que tracionava as composições através de cabos de aço.

O nome Tanque do Gustavo foi atribuído em homenagem ao alemão Gustavo Hartmann, empreiteiro da ferrovia que construiu o reservatório. Neste núcleo há três trilhas:

3. Trilha da Pontinha:
Acompanha o percurso do rio Grande, possuindo aproximadamente 1090m de extensão com 1h de caminhada. Tem início na estrada de Paranapiacaba e fim na via de manutenção para o Tanque do Gustavo. A caminhada é fácil (declividade de 15º);

4. Trilha do Mirante:
Acompanhando a encosta da serra, por dentro da mata, a trilha de possui cerca de 1.185m de extensão que podem ser percorridos em aproximadamente 1h. Possui grau fácil de dificuldade e declividade de até 15º;

O principal atrativo é o mirante, que está cerca de 1.000 m de altitude, no limite com o Parque estadual da Serra do Mar, possibilitando a visão da Baixada Santista e do mar, do complexo rodoviário Anchieta-Imigrante e o pólo industrial de Cubatão.

5. Trilha da Comunidade:
Partindo do final da trilha da Água Fria e com 1.569 m de extensão, esta trilha dá acesso à um dos pontos mais altos do Parque, podendo ser percorrida em aproximadamente 2h.

É uma caminhada difícil, com desnível de 276 m e declividade acima de 30º. No alto do morro, encontram-se ruínas que dizem se tratar de uma antiga comunidade alternativa da década de 1970. Pelo local, passa a divisa de três municípios: Santo André, Santos e Mogi das Cruzes.


Por Letícia J. Guedes da redação do site Áreas Verdes das Cidades
Com informações de:

Fotos: Site da prefeitura de Santo André

0 comentários:

Postar um comentário

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site