domingo, 14 de junho de 2015

Parque Barigui em Curitiba

A visita ao Parque Barigui em Curitiba, capital paranaense, foi feita em dois dias (num sábado e domingo). O parque tem cerca de 1.400.000 m² e seu nome tem origem indígena que significa "rio do fruto espinhoso", em alusão às pinhas das araucárias nativas, ainda remanescentes na região. Devido a sua localização, próximo ao centro da cidade, e sua infraestrutura, o Barigui é o parque mais freqüentado de Curitiba.
Horário de funcionamento:
Ininterrupto
Telefone:
  (41) 3339-8975 
Localização:
Av. Cândido Hartmann, s/ n° – Bigorrilho/Cascatinha/Mercês/Santo Inácio, Curitiba, PR. Entradas também pela BR-277 e Av. Manoel Ribas.
Ver no mapa

Há várias linhas de ônibus que dão acesso ao parque, conforme abaixo:
Entrada pela BR-277
  • Expresso (vermelho): Terminal Campina do Siqueira (Centenário-Campo Comprido); 
  • Linha direta (ligeirinho – prata): estação-tubo Barigui (Pinhais-Campo Comprido – sentido Campo Comprido); Terminal Campina do Siqueira (Curitiba-Campo Largo, Inter 2 e Pinhais-Campo Comprido);
  • Alimentadores (laranja): Terminal Campina do Siqueira e
  • Troncais e convencionais (amarelos): São Braz, Tiradentes-Tuiuti-Barigui e Terminal Campina do Siqueira
Entrada pela Av. Cândido Hartmann
  • Troncais e convencionais (amarelos): Bigorrilho, Capão da Imbuia-Parque Barigui, Savoia e Tiradentes-Tuiuti-Barigui;
  • Interbairros II (verde) e
  • Linha Turismo
Entrada pela Av. Manoel Ribas
  • Troncais e convencionais (amarelos): Jardim Itália e Santa Felicidade e
  • Linha Turismo (ponto Portal Italiano).
Caso vá de carro acesse o link "Ver no mapa" no "box" acima e trace seu roteiro.

Há estacionamentos para veículos no interior do parque com 1950 vagas, inclusive com locais exclusivos para portadores de necessidades especiais. Além disso, como não é cercado de gradis, as ruas das proximidades também podem ser utilizadas, mas sempre observando a sinalização de trânsito no local.

Infraestrutura
Lago, pavilhão de exposições, parque de diversões, Museu do Automóvel, restaurante, Salão de Atos, Bistrô, academia de ginástica, pista de bicicross, canchas esportivas, trilhas, sanitários públicos, pista de patinação, heliponto, churrasqueiras, lanchonetes, equipamentos de ginástica, portal, pontes, sede de grupo escoteiro e estacionamentos. Há ainda três pistas de Cooper e ciclovias com extensões de 3.300, 2.850 e 1.045 metros e um Memorial às Vítimas do Trânsito.

A seguir mostramos os horários de algumas das atrações do Parque Barigui:
  • Academia Municipal (Segunda a sexta: 7h às 21h, sendo nos sábados e domingos) não abre;
  • Bistrô Casa Amarela (Todos os dias: 10h às 19h);
  • Restaurante Maggiore (Terça a sexta: 20h às 3h, sábado 12h até último cliente e segunda não abre) e
  • Museu do Automóvel (Quarta a sexta: 14h às 17h30, sábado e domingo: 10h às 12h e 14h às 17h30, segunda e terça não abre).
Sua flora é composta por espécies como a Araucária, erva-mate, pitangueira, vassourão-branco, bromélia, orquídea, mirta, guabirotuba e guabiroba.

Quanto à fauna há grande variedade de aves como a Garça-branca, quero-quero, tico-tico, sabiá, biguatinga, preá, capivara, cutia, sagüi e gambá. Com sorte o visitante poderá encontrar também uma das figuras mais populares da cidade, o polêmico jacaré do Barigui. Um jacaré-do-papo-amarelo adulto que costumeiramente toma seus banhos de sol às margens do lago. Há anos ele vive no local sem nunca ter incomodado os demais usuários do parque.

Além de refúgio para animais, o parque é também a grande área de preservação natural da região central da cidade. Seus bosques ajudam a regular a qualidade do ar enquanto que o seu imenso lago, com 230.000 , ajuda a conter as enchentes do Rio Barigui, que, segundo a Prefeitura, antigamente eram tão comuns em alguns trechos da parte mais baixa de Curitiba.

O Parque Barigui, assim como os demais parques da cidade, faz parte de uma política municipal de preservação de fundos de vale. O objetivo é evitar o assoreamento e a poluição dos rios através de monitoramento, proteger a mata ciliar, bem como impedir a ocupação irregular das suas margens, tornando estas áreas abertas à população na forma de parques.

"Possui espaço para prática de esportes com uma cancha de futebol de areia, três de vôlei, uma poliesportiva e canchas de peteca. Além disso, tem uma área com pista de aeromodelismo e pista de patinação. A antiga olaria localizada dentro do parque foi transformada em uma Academia de Ginástica com equipamentos de musculação. Além disso, o parque abriga duas salas de ginástica nas quais são oferecidas aulas de condicionamento físico, alongamento, dança moderna, ginástica para a terceira idade, orientação para caminhada e peteca. Os únicos aparelhos que a academia não possui são esteiras (a fim de incentivar a caminhada nas trilhas do parque). É necessário apresentar um atestado médico de um cardiologista para iniciar as atividades, que são totalmente gratuitas. Além da Academia de Ginástica, o parque também oferece duas áreas ao ar livre com equipamentos para alongamento e condicionamento físico. Em uma dela, ao lado do bistrô Casa Amarela, encontra-se um instrutor que auxilia na prática de ginástica e caminhada das 8h às 22h.

Uma casa histórica é hoje sede para o Bistrô “Casa Amarela”, que oferece itens como água, refrigerantes, açaí, sorvetes, sanduíches naturais, entre outros. O local oferece ainda mesas externas, que ficam localizadas ao lado da pista de cooper, ciclovia e uma das áreas de alongamento do parque. Há um restaurante com serviço à la carte. Há também vendedores ambulantes autorizados pela Prefeitura com barraquinhas de pipoca, sorvete e água de coco.
Abriga uma “Casa da Leitura” com cerca de cinco mil exemplares entre livros, jornais e revistas, que podem ser emprestados sem nenhuma taxa não somente para levar para casa como para leitura no próprio parque. Para fazer a carteirinha, é necessário levar a identidade e um comprovante de residência. Todos os domingos, às 15h, o local também oferece leitura de histórias para todas as idades. O local é espaço também para atividades como oficinas de conto e teatro de bonecos. Possui uma sala de leitura para adultos e crianças, além de um espaço para cursos e palestras. 

O parque também é sede de um Pavilhão de Exposições - que recebe uma série de feiras durante todo o ano - e do Museu do Automóvel, aberto em 1976, que possui um acervo de mais de 150 veículos, que são colocados em exibição alternadamente nas 80 vagas disponíveis no museu. 

Possui um heliponto, que oferece serviços de voos panorâmicos pela cidade de Curitiba, somente nos finais de semana". 
(Texto extraído do Website da "Gazeta do Povo" de Curitiba)

Possui acesso para portadores de necessidades especiais em todo o parque, mas há espaços em que é necessário fazer caminhos mais longos, como na ponte que atravessa o lago. Possui banheiros equipados com corrimão.

Não há restrições para animais domésticos. Solicitamos atentar apenas para utilizarem os locais de acordo com as orientações (placas) que constam no parque.

Durante a visita percebemos a existência de alguns vigias no parque, conferindo-lhe segurança

Sinopse Histórica
O nome Barigui tem origem indígena e significa "rio do fruto espinhoso", em alusão às pinhas das araucárias nativas, que ainda permanecem no local. O lugar, uma antiga "sesmaria" pertencente a Martins Mateus Leme, foi transformado em parque em 1972 pelo então prefeito da cidade, sendo o projeto do arquiteto Lubomir Ficinski.
Nos três bosques constituídos por capão de floresta primária nativa e por florestas secundárias, procuram refúgios diversos animais nativos ou migratórios como garças-brancas, preás, quero-queros, tico-ticos, gambás e outros.


Vale a pena
  • Visitar o Museu do Automóvel para os aficcionados desse veículo;
  • Fazer uma refeição nos estabelecimentos comerciais existentes no parque que margeiam o lago, admirando o entorno;
  • Levar as crianças para brincar nos playgrounds que têm bons equipamentos;
  • Fazer um piquenique num dos quiosques e várias churrasqueiras que estão disponibilizados gratuitamente a quem chegar primeiro;
  • Jogar seu esporte preferido em uma das canchas esportivas existentes;
  • Utilizar as salas de ginástica disponíveis nas quais são oferecidas aulas de condicionamento físico, alongamento, dança moderna, ginástica para a terceira idade, orientação para caminhada e peteca;
  • Percorrer as boas ciclovias existentes no parque com sua "bike" e
  • Andar e/ou correr pelas trilhas/pistas do parque, admirando a natureza ao redor.
_________________________________________________________________________________________________________________
OBS.: Informações e programações sujeitas a mudanças e alterações. Para mais informações, ligue para o telefone da administração no box acima.
Fontes dos textos: Websites da "Prefeitura de Curitiba" (http://www.curitiba.pr.gov.br), "Parques e Praças de Curitiba" (http://www.parquesepraçasdecuritiba.com.br) e "Gazeta do Povo" (http://guia.gazetadopovo.com.br).
_________________________________________________________________________________________________________________


Veja vídeo feito no local, quando da visita (sugerimos "clicar" no ícone do "YouTube" para uma melhor visualização).

A seguir, veja fotos tiradas no local no dia da visita (Ao "clicar" em qualquer foto, abre-se, automaticamente, o modo de exibição "Tela Cheia" de seu computador e por meio de suas teclas "Setas" (➡⬆⬅), podem ser visualizadas todas as fotos tiradas do parque).

1 comentários:

  1. Muito bom Guedes, como sempre. Até enviei para meus amigos em Curitiba, pois com certeza, eles mesmos faz muito tempo que não visitam seus lindos parques. Quando se mora em uma cidade boa como Curitiba, se esquece das sua belezas.

    ResponderExcluir

Seus comentários são muito importantes para o aprimoramento do site